Eduardo Cabrita validou festejos do Sporting contra vontade da DGS e PSP

O Ministro da Administração Interna assinou o despacho na véspera da conquista do título do emblema de Alvalade depois de ter ignorados os pedidos do clube durante dois meses.

Cristina Bernardo

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, validou os festejos do título do Sporting Clube de Portugal na véspera da conquista do campeonato de futebol, exatamente nos modos em que estes vieram a ocorrer, segundo conta o jornal “Público”.

O despacho de Eduardo Cabrita foi comunicado no dia 10 de maio, pelas 22h30 por e-mail à Polícia de Segurança Pública (PSP). De acordo com o “Expresso”, o ministro da Administração Interna, ignorou durante os pedidos do clube durante dois meses.

O semanário indica que Cabrita deu o aval à solução encontrada entre o Sporting e a Câmara Municipal de Lisboa para os festejos do título, mesmo depois dessa proposta ter sido desaconselhada pela Direção Geral de Saúde (DGS) e pela PSP.

Recorde-se que na passada sexta-feira, Eduardo Cabrita referiu em conferência de imprensa que “o Sporting Clube de Portugal não respondeu a qualquer dos pedidos de esclarecimento feitos pela Inspeção Geral da Administração Interna”.

Recomendadas

Sócios do Sporting aprovam contas com maioria esmagadora (com áudio)

Já o relatório da época 2020/2021, votado por 7009 sócios, teve aprovação garantida com 84,50% dos votos.

Benfica abre inquérito por alegado envolvimento de colaboradores em negócio de ações da SAD

De acordo com uma notícia publicada hoje pelo jornal “Nascer do Sol”, o antigo presidente Luís Filipe Vieira terá contado com a ajuda de dois colaboradores do clube, a quem terá prometido elevadas comissões no negócio, para reunir secretamente 25% do capital da SAD, com o objetivo de venda ao empresário norte-americano John Textor.

Liga 3: Como reduzir o fosso entre amadorismo e profissionalismo? Veja o “Jogo Económico” com Hélder Postiga

Acompanhe o “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Comentários