El Corte Inglés planeia levar refeições a casa

“Estamos a estudar entrar nas entregas com uma oferta de pratos já preparados. É uma categoria estratégica e no final do ano vamos fazer testes ao modelo”, afirma responsável do grupo espanhol.

O grupo espanhol El Corte Inglés vai apostar no segmento da restauração tendo inaugurado 40 restaurantes em Espanha e Portugal nos últimos anos. Ainda que tenha exigido um investimento de 30 milhões de euros, junto dos operadores, conseguiu alcançar uma rede de 400 locais que em conjunto receberam 30 milhões de clientes.

Com estes resultados, a companhia vê o segmento da restauração como um dos pilares fundamentais na sua estratégia de crescimento, disse Guillermo Arcenegui, um dos responsáveis do grupo El Corte Inglés. Assim, o grupo prevê abrir espaços de restauração em mais de dez lojas por ano enquanto irá ampliar o investimento, que se supõe ser de mais de 15 milhões de euros para impulsionar este negócio.

Além de sustentar as lojas que já abriram, a marca vai apostar em novas vias de negócio. “Estamos a estudar entrar nas entregas com uma oferta de pratos já preparados. É uma categoria estratégica e no final do ano vamos fazer testes ao modelo”, afirma Arcenegui. Atualmente, a marca espanhola oferece o serviço de pratos preparados previamente em 82 pontos de venda na Península Ibérica, e tem sete novos projetos que prometem impulsionar a categoria.

O grupo garante que as áreas de restauração têm funcionado como pólos de atração, o que permitem aumentar o tempo em que os visitantes consomem e permanecem no centro comercial. Um dos grandes potenciadores deste projeto tem sido o Starbucks, que já detém 23 cafés dentro dos centros comerciais do El Corte Inglés. Ainda assim, o grupo tem apostado nos restaurantes Gourmet Experience e nos menus de degustação. “A nossa estratégia é que qualquer cliente que frequente o El Corte Inglès encontre um formato que satisfaça os seus gostos e necessidades”, conclui Arcenegui.

Recomendadas

Jorge Alves foi eleito o melhor enólogo ano em Portugal em 2018

O prémio de Jorge Alves, o enólogo principal da casa desde 2012, atribuído pela revista ‘Vinho Grandes Escolhas’, ficou reforçado pelo destaque aos Mirabilis, dois grandes reservas tinto e branco entre os melhores vinhos do ano.

Dona do Minipreço pode vender lojas fora de Espanha para salvar grupo

O Grupo DÍA, dono das lojas Minipreço e Clarel em Portugal, está a atravessar um período conturbado e que ameaçar a sua sobrevivência. Após ter sido lançada uma OPA, e depois da apresentação de resultados anuais desastrosos, a retalhista estuda todas as vias alternativas para salvar as suas operações. Uma reunião de acionistas está prevista dentro de um mês, onde a administração do grupo espera conseguir um balão de oxigénio. Caso isso não aconteça, as operações fora de Espanha não são imprescindíveis.

Donos da Herdade das Servas investem nos vinhos verdes

Irmãos Serrano Mira adquirem solar erguido em 1540 pelo poeta e humanista Francisco Sá de Miranda.
Comentários