El Corte Inglés planeia levar refeições a casa

“Estamos a estudar entrar nas entregas com uma oferta de pratos já preparados. É uma categoria estratégica e no final do ano vamos fazer testes ao modelo”, afirma responsável do grupo espanhol.

O grupo espanhol El Corte Inglés vai apostar no segmento da restauração tendo inaugurado 40 restaurantes em Espanha e Portugal nos últimos anos. Ainda que tenha exigido um investimento de 30 milhões de euros, junto dos operadores, conseguiu alcançar uma rede de 400 locais que em conjunto receberam 30 milhões de clientes.

Com estes resultados, a companhia vê o segmento da restauração como um dos pilares fundamentais na sua estratégia de crescimento, disse Guillermo Arcenegui, um dos responsáveis do grupo El Corte Inglés. Assim, o grupo prevê abrir espaços de restauração em mais de dez lojas por ano enquanto irá ampliar o investimento, que se supõe ser de mais de 15 milhões de euros para impulsionar este negócio.

Além de sustentar as lojas que já abriram, a marca vai apostar em novas vias de negócio. “Estamos a estudar entrar nas entregas com uma oferta de pratos já preparados. É uma categoria estratégica e no final do ano vamos fazer testes ao modelo”, afirma Arcenegui. Atualmente, a marca espanhola oferece o serviço de pratos preparados previamente em 82 pontos de venda na Península Ibérica, e tem sete novos projetos que prometem impulsionar a categoria.

O grupo garante que as áreas de restauração têm funcionado como pólos de atração, o que permitem aumentar o tempo em que os visitantes consomem e permanecem no centro comercial. Um dos grandes potenciadores deste projeto tem sido o Starbucks, que já detém 23 cafés dentro dos centros comerciais do El Corte Inglés. Ainda assim, o grupo tem apostado nos restaurantes Gourmet Experience e nos menus de degustação. “A nossa estratégia é que qualquer cliente que frequente o El Corte Inglès encontre um formato que satisfaça os seus gostos e necessidades”, conclui Arcenegui.

Recomendadas

Descarbonização vai marcar 36ª edição da Ovibeja

Certame dedicado às atividades agrícolas e pecuárias arranca hoje na capital do Baixo Alentejo e será inaugurado pelo Presidente da República.

Heinz: CEO português gosta de fado, é amigo do juiz Carlos Alexandre e fã de João Félix

Assume-se como cidadão do mundo, mas não esquece Portugal: é fã de fado, do Benfica e gosta de Lisboa. O gestor cresceu com o juiz Carlos Alexandre a quem chamava Carlitos.

Heinz: A histórica marca de ketchup vai ter um presidente português

O gestor português Miguel Patrício vai migrar da indústria de cervejas para a companhia que produz o histórico ketchup Heinz. O novo diretor-executivo diz que a sua primeira preocupação são as “pessoas”.
Comentários