Embaixada de Portugal no Senegal pede prudência a portugueses

A embaixada de Portugal no Senegal recomendou aos portugueses residentes naquele país “prudência” e “vigilância” devido às manifestações que têm ocorrido nos últimos dias.

Senegal

A embaixada de Portugal no Senegal recomendou esta quinta-feira aos portugueses residentes naquele país “prudência”e “vigilância” devido à possibilidade da continuação das manifestações que têm ocorrido nos últimos dias.

“Face a possíveis manifestações durante os próximos dias em diversos locais no Senegal, os serviços consulares da embaixada de Portugal, em Dacar, recomendam aos nossos concidadãos prudência e vigilância redobrada”, referiu a representação diplomática de Portugal num aviso divulgada na sua página na rede social Facebook.

Manifestações de protesto têm ocorridos em várias cidades do Senegal devido à detenção, depois do levantamento da sua imunidade, do deputado e líder do partido Pastef, Ousmane Sonko, que ficou em terceiro nas presidenciais de 2019.

Ousmane Sonko, de 46 anos, foi alvo no início de fevereiro de uma queixa por violação e ameaças de morte apresentada por uma funcionária de um salão de beleza, onde ia receber massagens. O deputado nega as acusações e fala de uma conspiração.

Segundo a imprensa, um jovem morreu hoje durante uma manifestação ocorrida na região de Casamança, no sul do país, de onde a família de Ousmane Sonko é originário. As autoridades senegalesas anunciaram hoje ao final do dia a suspensão de dois canais privados de televisão por três dias por terem difundido em “loop”as imagens dos distúrbios provocados pela detenção de Ousmane Sonko.

A decisão do Conselho Nacional de Regulamentação do Audiovisual visa a Sem TV e Walf TV. Na quarta-feira, aquele conselho já tinha emitido um alerta aos meios de comunicação social contra a divulgação de conteúdo “explícito ou implicitamente tolerando a violência”, incitando distúrbios à ordem pública ou “suscetível de constituir uma ameaça ao público, estabilidade nacional ou coesão social”.

Ler mais
Recomendadas

Venezuela: Jornal El Nacional promete luta contra sentença que o obriga a pagar 11,05 milhões de euros

O El Nacional acusou “todas as instâncias judiciais” venezuelanas de não ouvirem os seus argumentos, “o que deixa em evidência a falta de independência, autonomia e imparcialidade do poder judicial”.

Da relação entre Marcelo e Salgado às moradas falsas dos deputados. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Portugal corre o maior risco na UE de uma crise prolongada, afirma o banco ING

A elevada exposição ao turismo e outros sectores vulneráveis, o que significa uma percentagem considerável da economia sem a possibilidade de teletrabalho, bem como fragilidades macro e falta de literacia digital colocam o país em risco de uma crise profunda que, juntamente com o resto do Sul da Europa, pode resultar num agravamento do fosso em relação ao Norte mais desenvolvido.
Comentários