Embaixador apela a investimento chinês no setor mineiro de Angola

João dos Santos, embaixador de Angola na China, participou no terceiro ‘roadshow’ para concessões mineiras, em Pequim.

José Manuel Ribeiro/Reuters

O embaixador de Angola na China representou o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos angolano na terceira apresentação técnica (roadshow) das concessões mineiras Kassala Kitungo, Camafuca-Camazambo, Tchitengo, Kassala Kitungo, Cácata e Lucunda.

João dos Santos, embaixador de Angola na China, participou no terceiro roadshow para concessões mineiras, em Pequim. O diplomata que representava o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, apelou aos participantes do evento para que invistam na exploração mineira neste país africano.

“Espero que esse evento sirva de espaço útil para melhorar o vosso conhecimento e atração de investimento mineiro em Angola”, afirmou o embaixador, citado pela “Angop”, esta segunda-feira.

A apresentação técnica realizada a 16 de setembro em Pequim é o terceiro de uma série de cinco roadshows programados. Tendo sido o primeiro realizado em Luanda, a 27 de agosto; em seguida foi no Dubai, a 10 setembro. Os próximos serão em Londres a 20 de setembro e em Nova Iorque no dia 30 do mesmo mês.

Recomendadas
Steve King com Donald Trump

Republicanos livram-se do rosto da supremacia branca em Washington

Congressista Steve King foi derrotado nas primárias republicanas no círculo do estado do Iowa que representa desde 2002. Perda de influência na Câmara dos Representantes após afirmações polémicas dita afastamento do político que ainda se tentou agarrar a um elogio de Donald Trump.

Iémen: o lado esquecido do mundo

ONU pedia 2,4 mil milhões de dólares à conferência de doadores, mas os países envolvidos não conseguiram ir além dos 1,35 mil milhões. A guerra civil e a Covid-19 deixaram 28 milhões de pessoas desesperadas. Entretanto Riade e Teerão prometem não deixar a guerra.

Rede social Snapchat vai deixar de promover mensagens de Donald Trump

A empresa da rede social Snapchat, popular entre os jovens, acusou o Presidente dos EUA de incitar à “violência racial”, anunciando que deixará de promover as mensagens da conta de Donald Trump.
Comentários