PremiumEmbaixador dos Estados Unidos revela que Trump vai bloquear OPA chinesa à EDP

Diplomata enviado por Trump a Lisboa diz que por motivos de segurança nacional os EUA_“opõem-se absolutamente” à tentativa da China Three Gorges de comprar os ativos norte-americanos da EDP.

Não mais de 15 minutos: foi o tempo que o Embaixador dos Estados Unidos em Portugal, George Glass, admitiu conceder para uma entrevista exclusiva, mas chegou para abordar vários todos os temas que estão no topo da agenda internacional – quase todos eles tendo a ver com a forma como a administração Trump encara as questões de segurança. Nesse quadro, destacou a eventual importância do Porto de Sines – que pode ser o ponto de entrada do gás natural norte-americano na Europa, passo para combater interesses semelhantes da Rússia por via dos contactos privilegiados com o governo alemão.

Dando a entender que os EUA_estão abertos à cooperação económica com empresas portuguesas – foi esse o motivo da viagem ao Porto – Glass falou sobre o Brexit e sobre populismo. Enalteceu a posição da UE e de Portugal face à Venezuela e não escamoteou que o posicionamento comum face ao Irão continua a ser um problema.

Que tipo de empresas e de setores nacionais estão na sua opinião preparados para viajarem para os Estados Unidos?

Tudo, desde a agricultura até à tecnologia. Cada estado norte-americano tem as suas necessidades, mas tudo tem o seu lugar, desde a tecnologia até aos produtos da agricultura – é virtualmente ilimitado.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Ler mais
Relacionadas

No caso da OPA falhar: EDP e chineses podem forjar parceria para o Brasil e América do Sul

No Brasil, o grupo EDP detém 51% da EDP Brasil, com a CTG a deter também vários ativos no país. As duas companhias já estão a desenvolver em conjunto uma barragem no Peru. A Reuters avança que as duas companhias podem juntar-se naquela região, se a OPA cair por terra.

Mexia sobre a OPA: “a CTG está a dar os passos necessários e obrigatórios”

O CEO da EDP explicou que o trabalho administrativo com os reguladores é talvez mais complexo e mais longo que algumas das partes pensavam inicialmente, sublinhando, contudo que “temos prova que [o trabalho administrativo para fazer os ‘filings’] está ser feito”.
Recomendadas

Mercadona procura quota de vendas superior a 10% em Portugal

Se replicar o êxito de Espanha, onde garante 25% das receitas com 17% da área comercial, grupo de Juan Roig vai chegar ao topo do mercado interno.

Farfetch: “Vamos reinvestir as margens do crescimento agressivo da empresa”

José Neves, fundador da Farfetch, está satisfeito com os resultados obtidos pela empresa, tal como foi como foi prometido ao mercado. O foco está em continuar a crescer e não na rentabilidade imediata.

Corte de 462 mil euros no orçamento da Agência Lusa pode provocar despedimentos

Em causa está a decisão do Governo, que controla a participação maioritária da agência detida em 50,14% pelo Estado, de cortar na rúbrica Fornecimentos e Serviços Externos do orçamento da Agência Lusa
Comentários