Empréstimos às famílias atinge 2,8 mil milhões de euros na Madeira

Os empréstimos para a habitação movimentaram 2,3 mil milhões de euros comparado com os 594 milhões de euros para consumo e outros fins.

Os empréstimos concedidos às famílias, na Madira, chegou aos 2,8 mil milhoõs de euros, no segundo trimestre, um valor que tem estado em subida pelo terceiro trimestre consecutivo, de acordo com os dados da Direção Regional de Estatística (DREM).

A maior parte dos empréstimos para as famílias vai para habitação. Este segmento movimentou 2,3 mil milhões de euros comparado com os 594 milhões de euros de empréstimos concedidos às famílias para consumo e outros fins, diz a DREM.

As sociedades não financeiras tiveram empréstimos concedidos no valor de 1,6 mil milhões de euros, uma descida de 36 milhões de euros, quando em comparação com o trimestre anterior.

Os rácios de crédito vendido para as sociedades não financeiras atingiu os 12,4% enquanto que nas famílias o valor se fixou em 3,2%. Isto representa uma descida de 0,1% e de 0,2% face ao trimestre anterior.

Recomendadas

PS critica Governo da Madeira por não ter estratégia para valorizar produção primária local

Os socialistas madeirenses dizem que o Decreto Legislativo Regional, aprovado pela Assembleia da Madeira, não salvaguarda requisitos que garantam “a autenticidade dos produtos e que valorizem quer a produção regional, quer os agricultores e produtores de sidra e vinagre de sidra da Madeira”.

Albuquerque diz que seria incompreensível se Assembleia da República não aprovasse propostas da Madeira para fazer face à pandemia

Em causa está o adiamento de duas prestações referentes do empréstimo concedido pelo Governo Nacional à Madeira, e ainda uma autorização para que a Madeira faça uma operação de endividamento no valor de 300 milhões de euros.

EISAP critica “ataque pirata” de Ana Gomes ao Registo Internacional de Navios

A European International Shipowners Association of Portugal considerou que as afirmações “absolutamente levianas e cheias de generalidades” de Ana Gomes sobre o MAR e a frota de quase 600 navios que navegam pelo Mundo arvorando a bandeira Portuguesa “não são próprias de uma ex-diplomata e ex-eurodeputada que tinha a obrigação de conhecer em maior profundidade as matérias que regulam esta atividade antes de se pronunciar sobre as mesmas”.
Comentários