Emprofac bem cotada junto das farmácias

Um inquérito inédito feito pela Afrosondagem sobre a satisfação dos clientes da Emprofac revela que, numa escala de 1 a 10, as farmácias atribuem uma nota de 7,1 pontos à empresa nacional de comercialização de medicamentos. Saiba mais.

Ler mais

 

Um estudo inédito realizado pela Afrosondagem para avaliar a prestação de serviço da Emprofac junto dos seus clientes revela que 36 das 39 farmácias do país responderam positivamente às perguntas sobre o grau de satisfação do trabalho desenvolvido pela farmacêutica cabo-verdiana.

Segundo o relatório da Agronsodagem, divulgado pelo boletim Saúde & Comunicação da Emprofac e que o economico.cv teve acesso, em média, a avaliação de todos os itens referentes à qualidade de prestação dos funcionários da empresa nacional de comercialização de medicamentos é satisfatória, alcançando 7,1 pontos numa escala de 1 a 10. A simpatia no atendimento destaca-se com a pontuação mais elevada (7,9), seguido pela apresentação do pessoal (7,7) e a disponibilidade das chefias/chefias intermédias (7,5).

A avaliação positiva é extensiva também aos itens qualidade de serviço e qualidade das respostas de suporte técnico com 7,2 ex-áqueo, à capacidade para prestar informações claras e úteis, a disponibilidade dos colaboradores presenciais e a ética e o profissionalismo no atendimento todos alcançando a nota 7,1.

Por outro lado, foram identificados itens que carecem ainda de uma melhoria, pois as respectivas avaliações situam-se num nível intermédio, são eles, a capacidade de satisfazer as solicitações (6,9), a capacidade para resolver rapidamente os problemas (6,3) e a flexibilidade (isto é, capaz de sugerir vias alternativas para a resolução dos problemas) com 6,1.

Os dados apontam ainda para um certo equilíbrio entre as expectativas criadas pelos responsáveis das farmácias e a qualidade dos serviços e produtos prestado pela Emprofac. Este item foi agraciado com uma pontuação média de 6,7 numa escala valorativa de 1 a 10.

As farmácias inquiridas, de um modo geral, consideram que a qualidade dos serviços prestados não é compatível com os custos, ou seja, os custos são elevados face à qualidade dos serviços prestados.

Os resultados do inquérito apontam, contudo, para um baixo nível de satisfação das farmácias relativamente à forma como as suas reclamações foram resolvidas. E são duas as áreas que os responsáveis pelas farmácias consideram que devem ser prioritárias para ser alvo de melhorias – a ruptura de estoques e a distribuição/transportes, logística e entrega dos produtos;

No cômputo geral, o nível médio da avaliação percepcionado pelos inquiridos relativamente à qualidade do site da Emprofac é bastante positivo, situando-se na ordem dos 8,3 pontos (na escala de Likert de 1 a 10).

O Universo do inquérito às farmácias foi constituído a partir de uma lista fornecida pela Emprofac, permitindo assim, uma estratificação da amostra por Ilha. O universo é composto por cerca de 39 farmácias, sendo que a recolha foi realizada de uma forma exaustiva. A taxa de sucesso foi de 92% ou seja, 36 das 39 farmácias responderam ao inquérito. Somente duas farmácias na Praia e uma no Sal não obstante as sistemáticas insistências por parte da equipa não se dignaram a colaborar e responder o questionário.

Foram consideradas todas as farmácias em funcionamento nas Ilhas de Santo Antão, S. Vicente, São Nicolau, Sal, Boa Vista, Maio, Santiago, Fogo e Brava. Foram tidas em conta para este inquérito todas as farmácias do arquipélago, divididas em 10 domínios de estudos. A ilha de Santiago foi dividida em dois domínios: Praia e Interior de Santiago.

Recomendadas

Cabo Verde está entre os três únicos países de África com melhoria na governança

O Relatório do Banco Mundial aponta que Cabo Verde está entre os três únicos países de África com melhoria na governança.

Governo confirma Icelandair como parceira na privatização da Cabo Verde Airlines

As duas partes vão agora iniciar negociações para a aquisição de até 51 por cento do capital da companhia aérea cabo-verdiana.

Governo de São Vicente quer empresas certificadas na norma de gestão ambiental

As informações foram avançadas pelo presidente do IGQPI, Abraão Lopes, que ministra a formação em São Vicente, iniciada hoje, em parceria com a Direcção Regional de Indústria, Comércio e Energia Norte (DRICEN).
Comentários