Ensino superior 2019-2020. Cursos procurados por alunos de excelência podem aumentar vagas

O despacho do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que fixa as regras do Concurso Nacional de Acesso, seguiu já para publicação em Diário da República, o que deverá acontecer nas próximas horas.

O despacho que regula os termos de fixação de vagas para o Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNA) 2019 considera explicitamente “a exigência do aumento de vagas em ciclos de estudos com elevado número de candidatos em primeira opção no concurso nacional de acesso 2018 com nota superior a 17 valores”.

Entre os cursos superiores mais procurados por alunos de excelência estão, por exemplo, Engenharia Física Tecnológica, Engenharia Aeroespacial e Matemática Aplicada e Computação, do Instituto Superior Técnico, em Lisboa, ou Engenharia e Gestão Industrial e Bioengenharia, da FEUP, no Porto.

O aumento do número de vagas nos cursos de “excelência” é a novidade mais emblemática do concurso de acesso ao ensino superior, cuja primeira fase arranca a 17 de julho. De fora, quer do aumento, quer da diminuição das vagas, ficam os cursos de Medicina.

O despacho do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, seguiu já para publicação em Diário da República, o que deverá acontecer nas próximas horas, ao que o Jornal Económico apurou.

O despacho, elaborado com base nas recomendações do grupo de trabalho liderado pelo professor João Guerreiro que a tutela aceitou, colheu ‘luz verde’ quer dos reitores quer dos presidentes dos politécnicos.

“O CCISP concorda com a generalidade das opções propostas pela tutela e destaca a existência de medidas positivas para a rede de ensino superior”, refere um comunicado do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos. De igual modo, o CRUP, que representa as 14 universidades públicas e a Universidade Católica, afirmou ” reconhecer-se num conjunto de princípios que subjazem às opções tomadas”, embora acrescentando algumas sugestões de alteração.

Outra das novidades do despacho do ministro Manuel Heitor é a possibilidade das regiões com menor procura poderem aumentar em 5% o número de vagas, desde que “estejam em causa cursos que visem formação em competências digitais e em áreas consideradas estratégicas para a especialização da instituição”.

Nas restantes situações, a proposta aponta para a manutenção do número máximo de vagas estabelecido para o ano letivo 2018/2019.

Ler mais
Recomendadas

PremiumRicardo Baptista Leite: “Não mantemos a economia a funcionar por decreto”

Deputado social-democrata ficou surpreendido com a exoneração de Jamila Madeira, mas diz estar mais focado no combate à pandemia. E defende mecanismos financeiros para incentivar isolamento voluntário de infetados e suspeitos de terem Covid-19.

“É um marco na confiança no futuro”. António Costa enaltece recorde de 51 mil novos alunos no ensino superior

São 50.964 os alunos que garantiram entrada nas universidades e politécnicos portugueses, segundo os resultados da primeira fase do Concurso Nacional de Acesso, divulgados este domingo. De acordo com o chefe do Governo, Portugal deve “continuar a aumentar e diversificar as formações superiores, de jovens e adultos”.

OE2021: Negociações já têm avanços concretos como novo apoio social – Governo

Segundo o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, isto revela da parte do Governo “uma enorme disponibilidade para negociar” com os partidos à esquerda do PS, com os quais se tem reunido, para, “em torno destas propostas e de outras, concretizar um entendimento para o Orçamento do Estado” para 2021.
Comentários