Equipa da RTP retida e questionada na fronteira no regresso de Hong Kong

O caso levou a Associação de Imprensa em Português e Inglês de Macau (AIPIM) a apelar às autoridades de Macau para que “o livre exercício da profissão esteja assegurado na plenitude”.

A direção de informação da RTP afirmou que a equipa de reportagem que se encontra em Macau foi retida, na quinta-feira, para “identificação e interrogatório” ao regressar de uma reportagem em Hong Kong.

Em resposta à Lusa, a direção de informação da televisão pública portuguesa indicou que a equipa de reportagem deslocou-se na quinta-feira a Hong Kong, a cerca de 60 quilómetros, e, no regresso a Macau via ferry, foi “retida para identificação e interrogatório pelo controlo de segurança alfandegário durante uma hora e meia”.

A direção de informação da RTP acrescentou que “o material de reportagem foi sujeito a vistoria, mas sem qualquer apreensão do mesmo. A equipa prosseguiu o seu trabalho normalmente e editou uma peça sobre a manifestação de Hong Kong que foi emitida no Telejornal”, referiu-se na resposta à Lusa. A notícia tinha sido avançada pelo canal em português da Rádio Macau.

O caso levou a Associação de Imprensa em Português e Inglês de Macau (AIPIM) a apelar às autoridades de Macau para que “o livre exercício da profissão esteja assegurado na plenitude”.

“Perante situações recentes de jornalistas do exterior que viram a entrada negada ou que foram inquiridos prolongadamente nas fronteiras de Macau”, a AIPIM “lamenta essas situações e faz um apelo às autoridades de Macau para que seja respeitada a livre circulação de jornalistas e que o livre exercício da profissão esteja assegurado na plenitude”, indicou a associação, num comunicado enviado às redações.

Esta manhã, o Gabinete de Comunicação Social (GCS) de Macau alertou os ‘media’ que se deslocam ao território para as comemorações do 20.º aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial chinesa e posse do V Governo para a necessidade de procederem a um “pedido de importação de equipamento”.

“Caso planeiem fazer-se acompanhar de equipamentos de grande dimensão durante a passagem pela Alfândega de Macau, devem enviar ao Gabinete de Comunicação Social, por e-mail, os documentos necessários”, indicou o GCS em comunicado.

Ler mais
Recomendadas

Epson Europa vê Portugal como “mercado totalmente estratégico”

Raúl Sanahuja, responsável de Relações Públicas e Comunicação da Epson, considera que as empresas portuguesas são mais “ousadas” e “lançadas” na integração de tecnologia de impressão.

“Problemas no setor de aviação convertem-se em oportunidades”, considera CEO da EuroAtlantic

Quais os grandes desafios que o setor da aviação vai ter que ultrapassar? Eugénio Fernandes, CEO da EuroAtlantic, esclarece que a empresa funciona em contraciclo com o mercado e que os problemas no setor convertem-se em oportunidades. Quanto aos problemas, este responsável aponta a falta de pessoal como questão a ultrapassar.

PremiumPartner da Peugeot lidera vendas nacionais da marca

Jean-Philippe Imparato explicou ao Jornal Económico a evolução global da marca no ano passado, com uma quebra de 8,8% registada nas suas vendas mundiais (excluído o mercado do Irão).
Comentários