Escassez dos semicondutores vai durar até meados de 2022, alerta Volkswagen

A falta dos ‘chips’ tem afetado a produção de automóveis em todo o mundo e deixou os concessionários com menos modelos para vender, mesmo com a pandemia a gerar um aumento na procura.

O responsável dos negócios da Volkswagen nas Américas não vê a produção de automóveis nos Estados Unidos a regressar aos níveis pré-pandémicos até ao segundo semestre de 2022, em parte devido aos surtos de Covid-19 na Malásia, que acabaram por ser disruptivos para as cadeias de abastecimento de componentes, como os chips semicondutores.

“Até podermos fazer cada carro que queremos exatamente quando queremos, será necessário que a cadeia de abastecimento de componentes não esteja condicionada, algo que não acredito que acontecerá até a segunda metade do ano que vem”, afirmou Scott Keogh, CEO da unidade norte-americana do Grupo Volkswagen, em entrevista à “Bloomberg”.

A escassez global de semicondutores afetou a produção de automóveis em todo o mundo e deixou os concessionários com menos modelos para vender, mesmo com a pandemia a gerar um aumento na procura.

A Volkswagen foi forçada a interromper a produção dos veículos desportivos, como o Taos e o Tiguan, na sua fábrica de Puebla, no México, este verão, e está recolher os chips do modelo Passat, de venda mais lenta, para alimentar a produção do mais lucrativo Atlas SUV, que é fabricado em Chattanooga. A fabricante automóvel também está a preparar a fábrica do Tennessee, Estados Unidos, para produzir o ID.4, o seu primeiro SUV elétrico, apontado para chegar ao mercado em junho do ano que vem.

A pandemia expôs uma “lacuna estrutural” entre a produção e a procura por chips, com a interrupção provocada pela pandemia de Covid-19 a exacerbar o desequilíbrio, disse Keogh. Mas nem tudo foi mau para os fabricantes de automóveis.

O stock mais limitado levou ao aumento dos preços e gastos mínimos de incentivo, preenchendo os resultados financeiros das empresas. Isso ajudou os negócios da Volkswagen nos EUA a ter lucro em 2020 pela primeira vez em oito anos, disse Keogh, após uma reformulação da sua linha de SUVs.

Quando a escassez de semicondutores eventualmente diminuir, a Volkswagen planeia manter menos carros nos lotes das concessionárias, porque provou ser mais lucrativo para ambos, disse Keogh.

Recomendadas

Movimento nos aeroportos portugueses sobe 2,3% até setembro para 15,2 milhões de passageiros

O número de passageiros que passou pelos aeroportos portugueses aumentou, em termos homólogos, em 2,3%, para 15,2 milhões até setembro, adiantou em comunicado a Vinci, que detém a ANA – Aeroportos de Portugal.

Matos Fernandes descarta medidas adicionais para atenuar subida dos preços da energia

O Ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, disse esta sexta-feira que “não vai haver necessidade” de falar de medidas adicionais para atenuar a subida dos preços da eletricidade “nos meses mais próximos”.

Galp: “Evento na Unidade de Destilação Atmosférica de Sines” não teve impacto no abastecimento do mercado português

“Seguindo os protocolos de segurança, a Empresa parou a operação da DAT que, após o seu arranque, é esperado que opere com taxas de utilização mais reduzidas durante algumas semanas”, anuncia a Galp.
Comentários