Escola de programação 42 abre em Lisboa. Não tem professores nem avaliação e é grátis para os alunos

Projeto inovador, apresentado esta segunda-feira, é dirigido por Pedro Santa Clara, que liderou o campus da Nova SBE. Conta com financiamento do Banco Santander, Vanguard Properties e da empresária sino-americana, Ming C. Hsu, ente outros.

A Escola 42 abre esta segunda-feira, 27 de julho, numa antiga tipografia da Penha de França, em Lisboa, dirigida por Pedro Santa Clara, professor catedrático de Finanças, que liderou o projeto do novo ‘campus’ da Nova SBE em Carcavelos.

A 42 é uma escola de programação gratuita para os alunos, sendo as inscrições pagas na totalidade pelos mecenas do projeto, entre os quais se contam o Banco Santander, a Vanguard Properties e a empresária sino-americana, Ming C. Hsu.

Pedro Santa Clara explicou ao Jornal Económico que a 42 assenta num método de ensino pedagogicamente inovador, em que a aprendizagem é feita sem o recurso ao formato tradicional das aulas. Não existem professores, nem horários, nem avaliação, gamificação é a palavra-chave. A escola está aberta durante as 24 horas do dia, nos sete dias da semana, podendo cada aluno definir o próprio horário e o seu plano de desenvolvimento.

Qualquer candidato é bem-vindo, diz Pedro Santa Clara. Não existe limite de idade nem lhe é exigido qualquer ‘background’ académico. Quem quiser frequentar a escola inscreve-se, sendo alvo de um processo de seleção muito filtrado a realizar entre outubro de 2020 e janeiro de 2021. As aulas têm início em fevereiro de 2021, havendo 150 vagas disponíveis para este primeiro curso. As inscrições arrancam hoje mesmo.

As candidaturas, que são feitas online, “envolvem dois testes que avaliam o raciocínio lógico e a capacidade de trabalhar sob pressão”, explica. Não é preciso qualquer conhecimento de programação. O primeiro teste dura 10 minutos, seguido de um outro teste de duas horas. Dois dias mais tarde, os candidatos sabem se passam ou não à fase seguinte: um ‘bootcamp’ de um mês conhecido como a “Piscine”: quem “aprender a nadar” está pronto a entrar no programa 42.

Uma vez selecionados, os alunos têm um período máximo de cinco anos para completar os 21 níveis do programa. Em média, os alunos concluem o programa em três anos e meio, incluindo dois períodos de estágio de quatro a seis meses. A passagem de níveis é feita através do desenvolvimento e conclusão de projetos, desenvolvidos individualmente ou em grupo, que são posteriormente avaliados pelos colegas.

“Todos os alunos devem reservar algum tempo da semana para avaliar projetos dos colegas, sendo assim promovido o espírito de comunidade, a responsabilidade pelo outro e a aprendizagem entre pares”, explica Pedro Santa Clara.

A Escola 42 nasceu em Paris em 2013 e, desde então, foi replicada em 19 cidades no mundo, estando prevista a abertura de mais 12 até ao final de 2020, incluindo Lisboa, que hoje abre as suas portas.

Ler mais
Recomendadas

Candidato a doutoramento pede 25 mil euros para substituir bolsas da FCT supostamente “adiadas”, mas concurso ainda não terminou

O jovem lançou uma campanha de crowdfunding sob o pretexto de um adiamento na atribuição das bolsas da FCT. A fundação desmente e diz que o processo decorre com toda a normalidade, com os resultados a serem conhecidos em novembro. A iniciativa gerou mal-estar desde o ministério até ás redes sociais

BE e PCP confrontam Governo com situação precária de trabalhadores não docentes nas escolas

O Bloco de Esquerda quer saber se o Executivo socialista está a ponderar integrar os trabalhadores contratados a termo certo em 2017 nos quadros da Administração Pública e o PCP considera “inaceitável” que esses profissionais continuem em situação precária e que esteja a ser promovido o seu despedimento.

Investimento em empresas de investigação e desenvolvimento ultrapassa os mil milhões de euros

Foram registadas 2.316 candidaturas a apoios do Estado, mais 739 comparativamente a 2018. De acordo com o MCTES o valor de investimento em empresas de I&D situou-se nos 1.168 milhões de euros em 2019.
Comentários