Eslováquia vai testar todos os cidadãos com mais de 10 anos

O Exército vai ajudar 20 mil equipas médicas nos locais de testagem, sendo que os resultados devem demorar 30 minutos após a colheita da amostra, devendo ser utilizados testes rápidos para esta prática.

Teste Coronavírus | Getty Images

O governo da Eslováquia introduziu um novo plano, onde vai testar todos os cidadãos para a Covid-19 com mais de 10 anos, avança o “The Guardian”. O programa de testagem que vai durar três semanas envolve as Forças Armadas para garantir que todos os cidadãos são testados ao vírus.

Na semana passada, o governo da Eslováquia executou um programa piloto de três dias, onde testou quatro regiões no norte do país. O objetivo destes testes em massa é isolar quem apresenta estar infetado com o vírus e testar quatro milhões de adultos.

De acordo com a publicação, o Exército vai ajudar 20 mil equipas médicas nos locais de testagem, sendo que os resultados devem demorar 30 minutos após a colheita da amostra, devendo ser utilizados testes rápidos para esta prática.

Quem testar positivo ao vírus tem a opção de ficar de quarentena em casa ou ficar numa instalação cedida pelo governo durante os 14 dias de quarentena. No entanto, o “The Guardian” aponta que quem não quiser realizar o teste tem a opção de se isolar durante dez dias ou ser multado em 1.650 euros.

As autoridades de saúde já revelaram que os hospitais do países podem colapsar durante as próximas semanas, uma vez que o número de infeções aumentou consideravelmente desde o fim do verão, depois de uma primeira vaga do vírus relativamente calma.

Na passada quarta-feira, os dados mostraram 2.785 novas infeções na Eslováquia, enquanto no mês anterior o valor era de 231 infeções por dia.

O primeiro-ministro eslovaco vai partilhar os resultados deste projeto com o Conselho Europeu, de forma a analisarem se esta é uma boa prática para aplicar a outros países que têm sofrido com o aumento repentino de novos casos.

Ler mais
Recomendadas

Israel: Netanyahu assegura que o pais se encaminha para novas eleições

Os parceiros de coligação acusam-se mutuamente de falta de diálogo e de responsabilidade por não haver um Orçamento de Estado aprovado para 2021. Serão as quartas eleições antecipadas em apenas dois anos.

Confederações empresariais apelam à “rápida” ratificação do acordo UE-Mercosul

Para as confederações empresariais da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai e BusinessEurope, o atraso na assinatura deste acordo pode pôr em causa o aproveitamento das oportunidades proporcionadas às economias e sociedades envolvidas.

Senado francês pede ao governo que apoie independência de Nagorno-Karabakh

Numa altura em que Azerbaijão e Arménia assinaram um acordo de paz e nenhum país do mundo mais a ONU reconhecem a independência, a resolução do Senado parece ser uma medida para consumo interno.
Comentários