PremiumEspanhóis atrasam novo Hospital de Lisboa

Projeto prevê investimento acima de 300 milhões. Propostas entregues no início de 2019. Somague e Mota-Engil lideram, mas Acciona pode reclamar.

O processo do novo Hospital de Lisboa, mais conhecido como Hospital de Lisboa Oriental, continua a marcar passo, após vários anos de atraso em relação ao projeto inicial. Esta semana, o júri do concurso, da responsabilidade da ARS – Administração Regional de Saúde de Lisboa, que já havia revelado que as duas propostas mais bem classificadas pertenciam às construtoras Sacyr Somague, no plano técnico, e à Mota-Engil, na variável do preço, decidiu que o prazo para entrega de comentários ou reclamações por parte de terceiros concorrentes foi prorrogado do dia 23 de setembro, a passada quarta-feira, até ao próximo dia 15 de outubro.

O Jornal Económico apurou junto de diversas fontes ligadas ao processo que essa prorrogação do prazo para apresentação de reclamações foi aceite após um pedido interposto junto do júri deste concurso público internacional pela construtora espanhola Acciona, resultando, na prática, num adiamento da decisão sobre esta importante infraestrutura de cuidados de saúde para a capital e para a Área Metropolitana de Lisboa, num investimento avaliado em mais de 300 milhões de euros.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPonteditora apresenta novo plano estratégico

“Conhecimento, valorização e inovação” serão os pilares da estratégia da Ponteditora, que aposta no formato bilingue para todas as suas publicações.

PremiumBMcar fecha 2020 com um volume de negócios de 142 milhões

O grupo do norte do país que vende exclusivamente BMWe Mini atingiu um volume de negócios de 142 milhões de euros, mais 10%. A expectativa é voltar a crescer nas vendas em 2021, com a ampliação das instalações no Porto Circunvalação.

PremiumTecnologia espacial: Marte ‘na mão’ da cortiça nacional

Boa parte do sucesso na futura análise do solo de Marte dependerá do êxito da tecnologia portuguesa que produz os compósitos de cortiça utilizados para revestir a cápsula de reentrada na Terra.
Comentários