Espírito Santo Property conclui pagamento de 36 milhões de euros a credores

O pagamento tanto a particulares como a entidades institucionais foi feito no âmbito do Plano Especial de Revitalização (PER) de maio de 2015, e significa a antecipação em cerca de um ano da conclusão do pagamento da totalidade da dívida, uma vez que estava prevista terminar em junho de 2020.

Rafael Marchante/Reuters

A Espírito Santo Property Portugal concluiu o pagamento de 36 milhões de euros de dívida a mais de 360 credores, segundo a carta enviada aos lesados do papel comercial da empresa a que a Lusa teve hoje acesso.

O pagamento tanto a particulares como a entidades institucionais foi feito no âmbito do Plano Especial de Revitalização (PER) de maio de 2015, e significa a antecipação em cerca de um ano da conclusão do pagamento da totalidade da dívida, uma vez que estava prevista terminar em junho de 2020.

Segundo a carta a que a Lusa teve acesso, o PER aprovado com o objetivo de reestruturar a empresa e assegurar o pagamento integral das dívidas aos credores passava pela redução dos custos de funcionamento, conclusão de projetos imobiliários em curso e venda de imóveis, o que foi feito.

“As medidas foram implementadas na íntegra e a mobilização dos ativos arrestados à ordem do tribunal foi executada sempre em articulação e com a aprovação prévia das entidades judiciais, tendo como objetivo gerar os meios financeiros necessários à satisfação das expectativas e dos compromissos assumidos”, lê-se na carta.

A ES Property, que pertencia ao Grupo Espírito Santo, sob o controlo da Rio Forte, gere ativos imobiliários e desenvolve atividades de promoção imobiliária.

Recomendadas

Deutsche Bank terá emprestado 2 mil milhões de dólares a Donald Trump durante 20 anos

Antes de ser eleito, foram concedidos pelo banco alemão empréstimos no valor 2 mil milhões de dólares a Donald Trump. O relatório do ”New York Times” avança que estas cedências foram feitas num espaço de duas décadas.

Rui Rio diz que auditoria ao Novo Banco deve incluir atual gestão

Presidente do PSD ressalvou que incluir a atual gestão do Novo Banco na auditoria “não quer dizer que haja desconfianças” sobre a forma como a instituição está a ser gerida. Mas que os contribuintes portugueses “exigem uma clarificação”.

Serralves e Gulbenkian no mapa cultural do Bankinter

Fundador de Serralves desde 2019, o Bankinter anuncia também o apoio à exposição “Cérebro, mais vasto que o céu”, organizada pela Fundação Calouste Gulbenkian.
Comentários