Espírito Santo Property conclui pagamento de 36 milhões de euros a credores

O pagamento tanto a particulares como a entidades institucionais foi feito no âmbito do Plano Especial de Revitalização (PER) de maio de 2015, e significa a antecipação em cerca de um ano da conclusão do pagamento da totalidade da dívida, uma vez que estava prevista terminar em junho de 2020.

Rafael Marchante/Reuters

A Espírito Santo Property Portugal concluiu o pagamento de 36 milhões de euros de dívida a mais de 360 credores, segundo a carta enviada aos lesados do papel comercial da empresa a que a Lusa teve hoje acesso.

O pagamento tanto a particulares como a entidades institucionais foi feito no âmbito do Plano Especial de Revitalização (PER) de maio de 2015, e significa a antecipação em cerca de um ano da conclusão do pagamento da totalidade da dívida, uma vez que estava prevista terminar em junho de 2020.

Segundo a carta a que a Lusa teve acesso, o PER aprovado com o objetivo de reestruturar a empresa e assegurar o pagamento integral das dívidas aos credores passava pela redução dos custos de funcionamento, conclusão de projetos imobiliários em curso e venda de imóveis, o que foi feito.

“As medidas foram implementadas na íntegra e a mobilização dos ativos arrestados à ordem do tribunal foi executada sempre em articulação e com a aprovação prévia das entidades judiciais, tendo como objetivo gerar os meios financeiros necessários à satisfação das expectativas e dos compromissos assumidos”, lê-se na carta.

A ES Property, que pertencia ao Grupo Espírito Santo, sob o controlo da Rio Forte, gere ativos imobiliários e desenvolve atividades de promoção imobiliária.

Recomendadas

Miguel Maya garante “total alinhamento” do BCP com os trabalhadores e reitera que compensação em falta depende dos resultados do banco

O líder da comissão executiva do BCP, Miguel Maya, reiterou que, enquanto a compensação aos trabalhadores não for integralmente concluída, a sua equipa não recebe a remuneração variável a que tem direito. Esta tarde, a assembleia-geral do banco aprovou com quase 100% dos presentes a compensação de 12,6 milhões aos trabalhadores, que equivale a um terço do que ainda têm a receber.

Sindicatos saíram a pedir aumentos duas horas antes da assembleia-geral do BCP terminar

Passavam poucos minutos das quatro da tarde e já a concentração de manifestantes tinha abandonado o parque junto ao edifício, no Taguspark, onde se realizou a assembleia-geral do BCP. Compensação faseada aos trabalhadores de 12,6 milhões foi aprovada com 99,98% dos votos.

BCP: distribuição de dividendos e compensação aos trabalhadores aprovadas com 99,98% dos votos

Realizou-se esta quarta-feira a assembleia-geral anual do Millennium bcp, onde estiveram representados 64,5% do capital. Os acionistas aprovaram a distribuição de dividendos no valor de 30 milhões, assim como a compensação de 12,6 milhões aos trabalhadores que, entre 2014 e 2017, tiveram cortes salariais.
Comentários