“Está muito provavelmente para ser decidido o fecho das escolas até 9 de março”, revela ao JE Carlos Carreiras

A ministra da Saúde e a ministra da Presidência vão presidir nesta quarta-feira, 20 de janeiro, a reunião com os especialistas. Em cima da mesa, está a possibilidade do encerramento das escolas. O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, revelou ao Jornal Económico que “muito provavelmente será decidido o encerramento das escolas até ao próximo dia 9 de março”, com base em informações que o autarca recebeu por via não oficial.

O Governo vai reunir-se ainda esta quarta-feira, ao final da tarde, com especialistas para avaliar o encerramento das escolas. O encontro vai ser liderado pela ministra da Saúde, Marta Temido, e pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, estando em cima da mesa a decisão do fecho das escolas. O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, revelou ao Jornal Económico que “muito provavelmente” será decidido o encerramento das escolas até ao próximo dia 9 de março”, com base em informações que o autarca recebeu por via não oficial.

“É informação pública que está convocada uma reunião do governo com os especialistas e que o assunto que está em cima da mesa é exatamente as escolas. E depois tenho uma informação não oficial que aquilo que está muito provavelmente para ser decidido é de facto o encerramento das escolas até ao próximo dia 9 de março. Esta informação acabei de receber, por via não oficial, e aguardo por essa reunião”, revelou ao Jornal Económico Carlos Carreiras.

Para este autarca “é uma boa notícia que provavelmente será anunciada ainda hoje ate ao final dia”. “Caso não fosse feito significaria que o primeiro-ministro tinha decidido de Portugal e dos portugueses, coisa que eu não acredito, porque o conheço e sei que não é dessa massa que ele é feito. Ou que não acreditaria no Instituto Ricardo Jorge, o que também não acredito dada a reputação e credibilidade deste instituto”, acrescenta.

Carlos Carreiras dá conta de um estudo do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) que dá conta da possibilidade de 60% da polução portuguesa poder estar infetada com a variante inglesa do novo coronavírus. “Perante estes dados não vejo outra alternativa de que não seja de facto o encerramento das escolas”, realça.

O presidente da Câmara de Cascais afirma esperar que o anúncio do fecho das escolas “seja ainda hoje, porque o tempo neste tipo de medidas é absolutamente essencial”, justificando que “não dá para perder tempo em situações como a que estamos a viver. Perder tempo significa mais infetados, mais internados, mais internados em unidades de cuidados intensivos e mais mortos”.

Caso o resultado final da reunião de hoje entre o Governo e os especialistas não seja o fecho das escolas, Carlos Carreiras reitera que fará um apelo às famílias do concelho de Cascais para não levarem os filhos à escola: “Não tenho dúvidas nenhumas de que farei esse apelo às famílias cascalenses e obviamente trata-se de um apelo à desobediência civil, mas que é perfeitamente compreensível neste momento. Ainda há pouco recebi a informação de que um dos colégios privados de Cascais, sete turmas foram para confinamento, porque foram registados casos positivos. Há muitos surtos nas escolas de Cascais, pelo que me é dado a conhecer. Acredito que há muitas outras escolas do país na mesma situação, em que basta apenas um aluno acusar positivo que a turma vai para confinamento e quando acabam por regressar já tem sido detetado que outro aluno testou positivo. Portanto, andamos numa situação que também não é favorável para aquilo que se quer salvaguardar que é o ensino dos nossos alunos.

Na reunião de hoje entre o Governo e especialistas estarão Mariana Vieira da Silva e Marta Temido com os epidemiologistas que habitualmente participam nos encontros com o Governo, Presidente da República e partidos, no Infarmed, em Lisboa, antecede o Conselho de Ministros desta quinta-feira.

Amanhã haverá Conselho de Ministros e o Executivo está a avaliar a evolução da situação, os números de hoje da evolução da pandemia revelam novos recordes diários.

Esta quarta-feira, a Direção-Geral de Saúde confirmou mais 219 novas mortes e mais 14.647 casos confirmados. Atualmente existem 5.493 internados (mais 202), dos quais 681 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (mais 11) e 428.364 casos recuperados em Portugal, mais 6.493 do que os registados ontem.

Na terça-feira, durante o debate sobre política geral na Assembleia da República, António Costa admitiu a possibilidade de se proceder a um encerramento de escolas caso fique demonstrado que a variante inglesa do novo coronavírus, que é mais contagiosa, se está a tornar dominante nos estabelecimentos de ensino

Ler mais
Recomendadas

Primeiro-ministro: “É natural que o desconfinamento comece pelas escolas”

António Costa recordou esta sexta-feira Governo “resistiu” até à última hipótese ao encerramento das escolas por causa do entrave que implica no desenvolvimento e no processo de aprendizagem dos alunos.

Um terço das famílias obrigadas a gastar mais de 100 euros em equipamento e apoio para aulas online

Uma em cada três famílias portuguesas foi obrigada a investir uma média de 103 euros por criança em equipamentos e apoio ao ensino neste segundo confinamento geral. Conclusão é do inquérito “Impacto da Escola Digital na Dinâmica das Famílias”, realizado pela Fixando entre 12 e 17 de fevereiro, junto de 8.700 famílias.

Software para ensinar programação UBBU recebe mais de um milhão de euros

Este apoio atribuído ao UBBO – o “maior Título de Impacto Social de sempre” da Portugal Inovação Social – será usado para aumentar o nível de literacia digital dos alunos.
Comentários