“Está tudo maluco?” é a reação de ex-deputado do PSD à “lei da rolha” no grupo parlamentar

Luís Menezes ataca decisão da direção de Rui Rio de passar a filtrar os contactos da comunicação social com os membros do grupo parlamentar social-democrata.

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, durante o segundo dia do 38º Congresso do Partido Social Democrata (PSD), em Viana do Castelo, 8 de Fevereiro de 2020.

O antigo deputado social-democrata Luís Menezes reagiu com indignação, através da sua conta de Twitter, à notícia de que todos os contactos com os elementos do grupo parlamentar do PSD com a comunicação social irão passar a estar centralizados na direção do partido. “Está tudo maluco?”, escreveu nesta tarde de sábado, criticando implicitamente Rui Rio ao deixar irónicos “parabéns a quem escolheu este triste caminho”.

https://mobile.twitter.com/luismenezes1980/status/1231280548527689728

Na mensagem de Twitter, Luís Menezes, que apoiou Luís Montenegro nas eleições diretas para a liderança do PSD e é filho do antigo presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Luís Filipe Menezes (um antigo adversário político de Rui Rio que se aproximou deste desde o início do ano passado), fez a partilha de uma notícia acerca da polémica medida, acompanhada de fortes críticas: “Chamem-me o que quiserem. Estou-me nas tintas! O PSD quer calar os seus deputados? Está tudo maluco? Em cinco anos no Parlamento, nunca fui proibido de falar sobre assunto nenhum, nem a nenhum deputado. Bem-vindos à lei da Rolha 2020 e parabéns a quem escolheu este triste caminho.”

Luís Menezes representou o círculo do Porto na XI e XII legislaturas, tendo sido da Assembleia da República há seis anos. Tem sido um dos maiores críticos de Rui Rio, responsabilizando-o pelo resultado do PSD nas legislativas de 2019, “pior ainda em número de votos do resultado que Mota Pinto teve em 1983”.

 

Recomendadas

Rui Rio: “O Governo que vier terá de ser de salvação nacional”

Líder social-democrata disse, em entrevista à RTP1, que ainda não é altura de pensar num eventual acordo para governar Portugal em tempos de crise económica. E advertiu que “não passa cheques em branco” a António Costa.

Marques Mendes: “Estado de Emergência deverá ser renovado, pelo menos, duas vezes”

Como o pico da Covid-19 se deverá dar mais tarde, em maio, Luís Marques Mendes acredita que o Estado de Emergência, que deverá ser renovado já esta semana, poderá vigorar com sucessivas prorrogações até ao início de maio. Dinheiro para as empresas que aderem ao ‘lay-off’ será transferido no dia 28 de cada mês.

Covid-19: Chega propõe centros de apoio e contenção de doentes e linha gratuita para lares de idosos e casas de saúde

Projeto de resolução defende criação de espaços nos municípios mais populosos e mais afetados pela pandemia onde fiquem confinados aqueles que, precisando de cuidados médicos, dispensem o internamento em cuidados intensivos.
Comentários