PremiumEstado e BCP colocam Herdade do Rio Frio à venda

É uma das maiores herdades do país, com cerca de cinco mil hectares. Tem produção pecuária, de vinhos, cortiça, arroz e criação de cavalos lusitanos.

A Herdade do Rio Frio, um dos maiores terrenos agrícolas do país, com vocação de produção agropecuária e de desenvolvimento de atividades turísticas, desportivas e culturais, está à venda. A decisão foi tomada pelos acionistas da Herdade do Rio Frio, o Estado, através da holding Parvalorem, e o BCP, com uma posição de 50% cada um nesta empresa do concelho de Alcochete, derivada dos créditos ‘herdados’ após o processo de insolvência que atingiu a Herdade do Rio Frio em 2017. Apesar de contactadas, fontes oficiais da Parvalorem e do BCP escusaram-se a comentar a operação de alienação. No entanto, o Jornal Económico sabe que “houve um número considerável de manifestações de interesse e, posteriormente, algumas propostas concretas”.

Ainda que não tenha sido possível saber qual a base de licitação apresentada pelos acionistas Estado e BCP – é este último quem está a liderar o processo em termos jurídicos -, diversas fontes do setor imobiliário e turístico contactadas, que solicitaram o anonimato, garantiram que a transação deverá movimentar “largas dezenas de milhões de euros, tendo em conta o potencial de produção agropecuária e, essencialmente, a valência de diversas atividades turísticas da Herdade do Rio Frio, tendo em conta o crescimento que o setor tem registado em Portugal nos últimos anos”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Mafre fora da corrida à Tranquilidade, Catalana Occidente é a candidata espanhola

Assim estão na corrida, a Ageas, a Allianz, a Generalli e a Catalana Occidente. O vencedor deverá ficar escolhido até ao fim do mês.

Santander Portugal é o banco com melhor Governo Corporativo, segundo ranking da Merco

No âmbito do ranking de Responsabilidade e Governo Corporativo, foram medidos especificamente os indicadores: conhecimento ético, transparência e bom governo, responsabilidade com os empregados, compromisso com o meio-ambiente e as alterações climáticas, e contribuição para a comunidade.

Maioria dos bancos prevê um crescimento de receitas resultante do Open Banking

Os executivos da banca acreditam que o Open Banking vai permitir chegar a mais clientes e parceiros, bem como otimizar os seus processos; e mais de metade dos executivos (54%) espera que o Open Banking permita aumentar as suas receitas até 10%, enquanto que cerca de 35% espera um crescimento até 20%.
Comentários