Estado paga advogadas a filhos de embaixador do Iraque

A defesa dos filhos gémeos do Embaixador do Iraque em Portugal, no inquérito por causa das agressões a um jovem de Ponte de Sor, foi assegurada por duas advogadas oficiosas e paga pelo Estado português.

O Jornal de Notícias escreve hoje que Ridha e Haider, os filhos do embaixador Saad Mohammed Ali, foram representados, no processo de inquérito aberto por causa das agressões a Rúben Cavaco, pelas advogadas oficiosas Patrícia Lista e Dina Fouto que “estavam de escala” na noite em que ocorreram os factos.

De acordo com o diário, os filhos do embaixador iraquiano “foram representados, do princípio ao fim do inquérito” por estas duas advogadas, com os custos inerentes a serem pagos pelo Estado português.

O JN salienta que, à altura dos factos, os iraquianos eram menores e que por isso, “a Polícia Judiciária (PJ) teve de pedir apoio judiciário para que fossem representados”.

Os dois jovens iraquianos vão voltar ao Iraque com o pai, que foi afastado do cargo de embaixador, sem terem respondido na justiça portuguesa pelas agressões, estando protegidos pela imunidade diplomática que o governo iraquiano recusou levantar.

A tese do Ministério Público (MP) é de que Ridha e Haider agiram com a intenção de matar Rúben Cavaco.

Recomendadas

5G: Começou hoje a segunda fase da migração das frequências da TDT

A segunda fase da alteração da rede de emissores da televisão digital terrestre (TDT) arrancou esta segunda-feira, 24 de fevereiro, em Vila Nova de São Bento, no concelho de Serpa, um passo essencial para a implementação da quinta geração móvel (5G).

EUA: coronavírus não prejudica, por enquanto, a ‘phase 1’ do acordo comercial com a China

O secretário do tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, reconhece que o coronavírus pode atrasar o início das negociações sobre o aprofundamento do acordo comercial com Pequim, mas garantiu não estar preocupado com esse cenário.
catarina_martins_bloco_esquerda_legislativas_1

BE quer subsídio de alimentação da Função Pública como referência para o setor privado

A medida consta de um projeto de lei apresentado pelos bloquistas, que visa que o subsídio diário de alimentação dos trabalhadores do setor privado não seja inferior ao que definido para os trabalhadores da Administração Pública.
Comentários