Estados Unidos investigam Huawei por alegado roubo de tecnologia

Em causa estará um suposto roubo de propriedade inteletual de diferentes pessoas e empresas ao longo de vários anos, bem como o facto da empresa chinesa ter contratado funcionários de empresas concorrentes que supostamente terão roubado dados confidenciais das mesmas.

O Ministério Público dos Estados Unidos está a investigar novos casos de alegados roubos de tecnologia por parte da fabricante chinesa Huawei, segundo revela o “The Wall Street Journal”, citado pelo jornal “Expansión“, esta sexta-feira.

Segundo o jornal norte-americano a Huawei encontra-se a ser investigada por um alegado roubo de propriedade intelectual de diferentes pessoas e empresas ao longo de vários anos, bem como o facto da empresa chinesa ter contratado funcionários de empresas concorrentes, que supostamente terão roubado dados confidenciais das mesmas, explicaram fontes próximas do processo ao “The Wall Street Journal”.

O governo dos Estados Unidos está a investigar os aspetos das práticas comerciais, além dos casos existentes contra a gigante chinesa.

Recorde-se que em janeiro deste ano o Departamento de Justiça dos Estados Unidos acusou a Huawei, duas das suas filiais e o seu diretor financeiro, Meng Wanzhou, por fraude bancária, obstrução da justiça, conspiração, violação do regime de sanções contra o Irão e de roubar informações confidenciais comerciais da operadora T-Mobile nos Estados Unidos.

Relacionadas

Dividir Google, Amazon, Facebook, Apple e Microsoft: o Oriente agradece

Atualmente, quando se pensa na divisão das megaempresas para ganhar terreno no plano concorrencial, não se pode pensar apenas no plano económico, também importa pensar no plano geopolítico.

“Situação de vida ou morte”. Presidente da Huawei ameaça trabalhadores

Este comunicado vem na sequência dos Estados Unidos excluírem um conjunto de empresas, na sua maioria asiáticas, alegando razões de segurança nacional.
Recomendadas

Philip Morris quer ter maioria da receita proveniente de produtos sem fumo em 2025

Novo presidente-executivo da maior empresa do mundo de produção e comercialização de tabaco dá Portugal como exemplo de um mercado que está a dotar rapidamente as novas tecnologias de produtos de tabaco sem combustão.

Resultado líquido dos CTT mais que duplicou para 8,7 milhões no primeiro trimestre

Lucro trimestral dos CTT cresceu em termos homólogos 136,3%. O aumento das encomendas impulsionou o crescimento das receitas, o que proporcionou o lucro de 8,7 milhões de euros, segundo as contas divulgadas esta quinta-feira.

Trabalhadores da CP e da IP vão estar em greve a 27 de maio

Os trabalhadores reivindicam aumentos salariais para todos, a redução do horário de trabalho para as 35 horas, o trabalho com direitos, o respeito pela contratação coletiva, a redução da idade de reforma e a melhoria do serviço público prestado.
Comentários