Estados Unidos querem autorizar vacina da Pfizer a partir dos 12 anos

A entidade reguladora para os alimentos e os medicamentos (FDA) vai “ter de alterar os regulamentos sobre a autorização de utilização de emergência para a vacina, mas o processo deve ser simples”, acrescentou.

Os Estados Unidos deverão aprovar, a partir da próxima semana, a vacina covid-19 da Pfizer-BioNTech para crianças com 12 anos ou mais, noticiou na segunda-feira a imprensa norte-americana.

A Pfizer solicitou a aprovação de utilização de emergência para a vacina para crianças e adolescentes entre os 12 e os 15 anos, disse a estação de televisão CNN, que citou um funcionário governamental.

A entidade reguladora para os alimentos e os medicamentos (FDA) vai “ter de alterar os regulamentos sobre a autorização de utilização de emergência para a vacina, mas o processo deve ser simples”, acrescentou.

Atualmente, a vacina da Pfizer está aprovada para pessoas com 16 anos ou mais nos Estados Unidos.

De acordo com dados oficiais, as taxas de vacinação atingiram um pico em 11 de abril nos EUA, e embora 55% dos adultos tenham agora recebido uma ou mais doses ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar a imunidade de grupo.

Entre os eleitores republicanos, 29% disseram que nunca serão vacinados, em comparação com 5% dos democratas e 9% dos independentes, de acordo com um inquérito recente da Kaiser Family Foundation. A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.203.937 mortos no mundo, resultantes de mais de 152,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.977 pessoas dos 837.457 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler mais
Recomendadas

Governo português envia equipas médicas a Cabo Verde para reforçar capacidade de resposta à situação pandémica

Estas equipas são constituídas por um grupo  profissionais de saúde do INEM, das Forças Armadas e do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, integrando dois médicos com experiência em Cuidados Intensivos e quatro enfermeiros com experiência em Urgência/Emergência e Cuidados Intensivos.

Peritos alemães consideram que será necessária terceira dose da vacina contra a Covid-19

Numa entrevista publicada hoje pela imprensa do grupo Funke, o presidente da Comissão Permanente de Vacinação (Stiko) alemã, Thomas Mertens, avisou que as atuais vacinas contra a covid-19 “não serão as últimas”.

Índia com mais de quatro mil mortos por Covid-19 nas últimas 24 horas

Desde o início da pandemia o país já registou 270.284 mortes e mais de 25 milhões de casos. A Índia é o segundo país do mundo que registou mais infeções, apenas atrás dos Estados Unidos.
Comentários