Estaleiros de Viana, CTT Logística e STCP apostam na inovação

A tecnologia está a diferenciar as novas soluções que respondem às necessidades dos serviços e negócios nascidos da rápida evolução que os mercados estão a ter no transporte e na logística.

O sector do transporte marítimo é um dos principais barómetros da situação económica internacional, identificando variações – o aumento ou a redução – nas trocas comerciais entre grandes áreas geográficas, o que faz com que a atividade dos estaleiros navais funcione como uma espécie ‘medidor da saúde’ financeira dos armadores que operam as frotas de navios mercantes que cruzam os oceanos. É precisamente pelo teor da inovação tecnológica dominada que os estaleiros se conseguem diferenciar, destacando-se assim os casos das unidades fabris capacitadas para oferecer soluções inovadoras aos armadores dos navios que lhes contratam trabalhos. É o caso dos estaleiros navais de Viana do Castelo – a West Sea – que está a efetuar trabalhos de conversão das tecnologias de armazenamento de combustíveis para soluções menos poluentes, como a da tancagem de Gás Natural Liquefeito (GNL).

Recentemente, a West Sea instalou no interior do ferryboat Sicilia – com 186 metros de comprimento, capaz de transportar mil passageiros e 480 veículos, da companhia de transporte marítimo Baleària –, um tanque de grandes dimensões, com capacidade para armazenar 425 metros cúbicos de GNL, com os quais terá autonomia para navegar 1.100 milhas náuticas. A vantagem ambiental da propulsão deste ferry ser assegurada por GNL está calculada numa redução de emissões poluentes (que elimina emissões de partículas pesadas e de enchofre) da ordem dos 30%, o que corresponde a menos 9.100 toneladas de emissões por ano.

O estaleiro da West Sea executou a montagem do depósito e procedeu à adaptação dos motores MAN e da casa das máquinas do navio. O consumo do novo combustível consegue ser monitorizado em tempo real. Mas a inovações introduzidas no Sicilia transformam-no num navio inteligente com rede wifi, com acesso ao WhatsApp e a smart TV, e a entrada nos camarotes com código QR. O domínio de tecnologias inovadoras é uma vantagem competitiva do estaleiro de Viana do Castelo, num momento em que a atividade dos estaleiros navais está fraca. Em termos comparativos, fonte do estaleiro da Lisnave – especializado na reparação naval – referiu ao JE que a conjuntura atual é muito débil no setor, explicando que a Lisnave apresentou um resultado negativo da ordem dos 1,9 milhões de euros em 2019, pois os armadores procuram fazer as reparações nos estaleiros que apresentam preços mais baixos, como é o caso das unidades da Turquia (que beneficia de uma desvalorização cambial). A mesma fonte adiantou que a atividade da Lisnave nos quatro primeiros meses de 2020 foi ocupada com a reparação de dragas (que são navios que habitualmente sofrem grandes desgaste de utilização) de diversos armadores.

Na área da logística, a recente unidade CTT Logística acaba de lançar um serviço inovador destinado a PME e a startups para armazenamento e distribuição de negócios de e-commerce simplificados e com operação online, respondendo assim às mudanças decorrentes do arranque de novas soluções de negócios. Os CTT Logística gerem, recolhem, armazenam, enviam e devolvem produtos de forma autónoma e independente por meios informáticos.

No sector dos transportes públicos urbanos, o operador do Porto – os STCP –, integrando o consórcio “Forum Virium Helsinki”, da Finlândia, que agrega os municípios de Helmond, na Holanda, de Gjesdal na Noruega e de Lamia na Grécia, bem como o consórcio FABULOS – Future Automated Bus Urban Level Operation System está a testar um sistema capaz de operar autocarros autónomos, registando sucesso no desenvolvimento de protótipos de serviço de shuttle autónomos. Os serviços de shuttle devem “assegurar a funcionalidade da operabilidade remota a partir da sala de controlo”, certificando que os autocarros serão “capazes de ultrapassar autonomamente obstáculos”.

Estes veículos não terão motorista, constituindo soluções para a gestão de transportes públicos automatizados. O projecto FABULOS recebeu sete milhões de euros do “Programa Horizonte 2020”, destinados às compras que serão feitas pelos diversos parceiros, cabendo aos STCP mais de 912 mil euros.

Ler mais
Recomendadas

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.

Companhia aérea Emirates planeia eliminar até 9 mil postos de trabalho

Antes do início da pandemia da covid-19, a companhia aérea contava com 60.000 funcionários e, em 31 de maio, anunciou despedimentos, apesar de não especificar quantos seriam.
Comentários