Estudo PwC: Parcerias são a via mais segura de gerar receitas rápidas para as entidades financeiras

Desta forma, os parceiros também saem a ganhar, pois complementam o seu leque de produtos e satisfazem mais necessidades dos seus clientes.

Focke Strangmann

As parcerias continuam a ser a via mais segura de gerar receitas rápidas para as entidades financeiras, ao mesmo tempo que atrair novos clientes através dos métodos tradicionais “nunca foi tão caro”, diz um estudo recente elaborado pela PwC – PreicewaterhouseCoopers, publicado na agência de notícias espanhola Europa Press.

Segundo indica a PwC, as parcerias permitem o crescimento através do desenvolvimento de produtos e da expansão geográfica, enquanto ajudam as empresas a “não perder o rasto à mudança de hábitos dos consumidores”, que dão prioridade ao serviço, ao acesso digital e à identificação pessoal com a marca, ao mesmo tempo que podem ajudar as empresas tradicionais a combater a ameaça das fintech.

Como captar clientes através dos comparadores “está a disparar o gasto” pelas comissões de venda que cobram às entidades, e adquirir novos clientes nos mercados emergentes “não é fácil”, associar-se a uma empresa que já tem clientela é “uma forma eficiente” para que as entidades levem esses usuários para a sua carteira de clientes, refere o estudo.

Desta forma, os parceiros também saem a ganhar, pois complementam o seu leque de produtos e satisfazem mais necessidades dos seus clientes.

Além do mais, as parcerias de crédito são também um instrumento “poderoso” para reduzir o custo dos pagamentos com cartão, assinalou a consultora.

O estudo revela ainda que à medida que a pandemia prejudica a economia “obriga” as instituições financeiras a reconsiderarem o seu papel nalgumas partes da cadeia de valor.

Ler mais

Recomendadas

Presidente da República exige maior controlo da legalidade na contratação pública

“É naturalmente compreensível – e até desejável – a necessidade de simplificação e de aperfeiçoamento de procedimentos em matéria de contratação pública que possam, com rigor, implicar a melhoria das condições de vida dos portugueses e permitir flexibilizar a atribuição e a alocação dos referidos fundos”, salientou Marcelo Rebelo de Sousa.

Presidente da República veta diploma que altera regras de contratação pública

Este veto do chefe de Estado foi divulgado no portal da Presidência da República.

Natal e passagem de ano: estas são as 14 regras que vão vigorar

Restaurantes abertos até à uma da manhã nas noites de natal e de passagem de ano, e natal sem interdição de circulação entre concelhos são algumas da medidas que vão vigorar durante a época festiva. Governo avalia medidas a 18 de dezembro à luz da evolução da pandemia da Covid-19.
Comentários