Estudo revela que três em cada dez startups do Porto correm o risco de fechar

O relatório “Impacto da Covid-19 nas Startups do Porto”, elaborado pela Porto Digital, FES Agency e Aliados Consulting, revela que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível.

DR

As startups portuenses representam um volume anual de negócios a rondar os 126 milhões de euros. No entanto, o impacto da pandemia de Covid-19 nas suas contas ainda está a ser avaliado. Segundo um estudo da Scale Up, divulgado esta semana, três em cada dez startups da Invicta correm o risco de encerrarem.

Entre os principais números do relatório “Impacto da Covid19 nas Startups do Porto”, produzido pela Porto Digital em colaboração com a FES Agency e a Aliados Consulting, está que 31,7% das startups têm até três meses de capital disponível, o que significa que três em cada dez destas empresas corre o risco de encerrar caso o contexto sanitário e económico não se altere.

O estudo destaca ainda que a maioria (61%) das startups refere o impacto negativo nas vendas, o que compara em alta com as 14,6% que afiançam estar a ter um impacto positivo. A análise concluiu ainda que uma em cada quatro têm uma redução de até 20% nas vendas, um terço sofreu quebras de mais de 50%, e 16,7% das inquiridas aponta para um impacto de mais de 80%.

Das empresas participantes neste inquérito, 63% não estão a levantar capital de risco e 68,3% recorreram ou estão à procura de fontes de financiamento alternativas. Mais a maior parte (70,3%) teve de reduzir custos, sobretudo na contratação de serviços externos, e 39% mostra preocupação com o potencial encerramento da sua startup.

Como pontos mais otimistas, o estudo sublinha que 95% das empresas do ecossistema de empreendedorismo do Porto não efetuaram despedimentos e 97,6% não tenciona fazê-los nos próximos 3 meses, sendo que 36,6% pretende até contratar.

No capítulo das medidas anunciadas pelo governo, 44% das startups da região do Porto recorreu às medidas excecionais e temporárias de apoio às PME e microempresas e 49% pretende usufruir das medidas específicas de apoio às startups, sobretudo da medida “StartupRH Covid19”.

Ler mais
Relacionadas

Startups estão mais otimistas sobre a crise mas admitem só ter capital para seis meses

Estudo concluiu que 55,7% das startups com escritórios em Portugal optou por solicitar os auxílios específicos para o empreendedorismo, como o “StartupRH Covid-19”, o “Startup Voucher”, o “Vale de Incubação”, ou o “Mezzanine funding for Startups”.
Recomendadas

Novo Banco diz que “não vende imóveis com desconto”, pois vendeu ao preço de mercado

“A diferença quanto ao valor de avaliação no balanço dos imóveis não é um desconto, é o efeito da diferença entre o preço de mercado e o valor de avaliações que seguem o método de custo ou que assumem diferentes estimativas de capacidade construtiva”, explica o banco liderado por António Ramalho.

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.
Comentários