EUA: Biden anuncia créditos fiscais para PME cujos trabalhadores se ausentem para tomar a vacina

A medida faz parte do pacote de estímulos económicos aprovado em março pelo Congresso e apoiará empresas até 500 trabalhadores, disponibilizando créditos fiscais que compensem eventuais ausências relacionadas com a toma da vacina.

O presidente Joe Biden deverá anunciar esta quarta-feira a criação de uma linha de créditos fiscais para as empresas cujos trabalhadores se tenham de ausentar do serviço para serem vacinados contra a Covid-19, de forma a estimular ainda mais a procura pela inoculação.

De acordo com a CNBC, o anúncio será feito num discurso que celebrará igualmente as 200 milhões de doses já administradas desde a sua tomada de posse.

O apoio federal abrangerá pequenas e médias empresas e visa cobrir os custos associados a baixas pela toma da vacina, incluindo possíveis efeitos secundários nos dias seguintes. A medida faz parte do pacote de 1,9 biliões de dólares (1,58 biliões de euros) aprovada pelo Congresso em março para estimular a maior economia do mundo na sequência da pandemia.

Esta linha funcionará na forma de créditos fiscais até aos 511 dólares (424,79 euros) por dia por trabalhador e até aos 10 dias de trabalho ou 80 horas, detalha a CNBC. O período compreendido irá de 1 de abril a 30 de setembro e a medida deverá abranger empresas até 500 trabalhadores.

O discurso deverá igualmente servir para enaltecer a administração de 200 milhões de vacinas desde que tomou posse a nova Casa Branca, que regista já 26% da sua população com ambas as tomas do fármaco e 40% com pelo menos uma, segundo o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) norte-americano.

No entanto, este novo incentivo surge numa altura em que abrandou ligeiramente o ritmo de vacinação, um resultado que poderá refletir a suspensão da vacina da Johnson & Johnson. Os EUA registaram a 13 de abril o maior número de vacinas administradas, com 3,4 milhões de tomas num só dia.

Ler mais
Recomendadas

Praias. 10 razões pelas quais utentes e concessionárias podem sofrer coimas que vão dos 50 aos mil euros

Desde a violação da obrigação de uso de máscara no acesso à praia, até à violação das regras de cirulação ou o incumprimento do distanciamento social, são algumas das razões para as coimas. As regras para o verão português de 2021 entram em vigor a partir de amanhã, 19 de maio.

Índia ultrapassa 25 milhões de casos e regista novo recorde de mortes

A braços com uma segunda vaga com um impacto sem precedentes no sistema de saúde, com falta de oxigénio e de camas, a Índia registou um declínio gradual do número de casos nos últimos dias, após ter atingido mais de 400 mil contágios, há duas semanas.

Órgão ligado ao Governo do Brasil contra cloroquina pela primeira vez

Esta é a primeira vez, desde o início da pandemia, que há um posicionamento contrário em relação ao uso desses fármacos por parte de um órgão ligado ao Ministério da Saúde brasileiro.
Comentários