EUA: Desemprego cai para 13,3% em maio com aumento surpresa de 2,5 milhões de postos de trabalho

Os economistas esperavam que a taxa de desemprego no país aumentasse até aos 19,8% e se perdessem mais oito milhões de empregos, depois de em abril se ter atingido o valor mais elevado desde a Segunda Guerra Mundial.

Nova Iorque, Estados Unidos | Spencer Platt/Getty Images

A taxa de desemprego nos Estados Unidos surpreendeu ao cair para 13,3% em maio, dos 14,7% que se tinha registado em abril, revelou esta sexta-feira, 5 de junho, o Departamento do Trabalho norte-americano. De acordo com o ‘The New York Times’, verificou-se uma melhoria inesperada no mercado de trabalho após a reabertura da economia.

Os economistas esperavam que a taxa de desemprego no país aumentasse até aos 19,8% e se perdessem mais oito milhões de empregos, depois de em abril se ter atingido o valor mais elevado desde a Segunda Guerra Mundial. Após a perda de 20,7 milhões de empregos no mês de abril, a economia viu a adição de 2,5 milhões de empregos em maio.

“Estas melhorias no mercado de trabalho refletiram uma retoma limitada da atividade económica que tinha sido reduzida em março e abril”, apontou o Departamento do Trabalho no relatório. O mesmo documento revelou que “o emprego aumentou acentuadamente no lazer e na hospitalidade, construção, serviços de educação e saúde e no comércio de retalho”, ainda que os empregos governamentais continuem em queda.

Com esta melhoria no desemprego, muitos economistas estimam que a taxa continue a reduzir, uma vez que muitos estados norte-americanos e negócios já começaram a chamar os empregados para reiniciar a atividade. Ainda assim, os economistas consultados pelo ‘New York Times’ avisam que ainda vai demorar algum tempo até que a economia veja rápidas melhoras.

Relacionadas

EUA: Covid-19 faz disparar taxa de desemprego para novo recorde de 14,7% em abril

A pandemia da Covid-19 teve um impacto forte no mercado de trabalho na maior economia do mundo, levando à maior taxa de desemprego e ao maior aumento mensal desde que a série de dados foi criada, em 1948.
Recomendadas

Tomada de posse de Biden marcada pela segurança e sem qualquer distúrbio

As preocupações com segurança no dia da transição de poder nos EUA levou a um aparato nunca antes visto em Washington, mas também nos Capitólios estatais por todo o país. A cerimónia correu, ainda assim, sem imprevistos ou distúrbios.

Tomada de posse de Joe Biden: 23 minutos de apelo à unidade

Num discurso praticamente monotemático, o novo presidente dos Estados Unidos afirmou saber as causas da fratura em que o país vive e pediu a todos que se lhe juntem para salvar a democracia. Trump, o assalto ao Capitólio e a Covid-19 foram os temas omnipresentes.

Morgan Stanley regista lucro e receita acima do esperado no quarto trimestre

A receita, por sua vez, subiu de 10,9 mil milhões de dólares nos últimos três meses de 2019 para 13,6 mil milhões nos meses de outubro a dezembro do ano passado, superando as previsões dos analistas.
Comentários