Euro cai após Trump anunciar medidas de apoio económico

Às 17:55 (hora de Lisboa), o euro negociava a 1,1750 dólares, quando na sexta-feira quase à mesma hora seguia a 1,1772 dólares.

Dado Ruvic/Reuters

O euro baixou hoje após o aumento da tensão entre a China e os Estados Unidos e depois de o Presidente norte-americano, Donald Trump, ter anunciado novas medidas de ajuda económica, decisão que apoiou o dólar.

Às 17:55 (hora de Lisboa), o euro negociava a 1,1750 dólares, quando na sexta-feira quase à mesma hora seguia a 1,1772 dólares.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou hoje a taxa de câmbio de referência do euro em 1,1763 dólares.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou no sábado vários decretos executivos com medidas de ajuda económica em resposta à crise causada pela pandemia de covid-19, após republicanos e democratas terem falhado um acordo no Congresso.

Entre as medidas inclui-se uma prestação adicional de 400 dólares (338 euros) semanais para os desempregados para substituir uma ajuda de 600 dólares (cerca de 507 euros) que já tinha expirado.

No plano diplomático, a China anunciou hoje sanções contra 11 funcionários norte-americanos, por interferência nos assuntos de Hong Kong, depois de os Estados Unidos terem adotado medidas semelhantes contra várias autoridades da região semiautónoma chinesa.

Divisas | segunda-feira | sexta-feira

 

Euro/dólar | 1,1750 | 1,1772

 

Euro/libra | 0,89800 | 0,90252

 

Euro/iene | 124,42 | 124,77

 

Dólar/iene | 105,88 | 105,98

Ler mais

Recomendadas

Programa Valorizar apoia 24 projetos no Ribatejo e Alentejo em 7 milhões de euros

O apoio abrange projetos nas áreas do autocaravanismo, turismo literário, praias fluviais, estações náuticas, enoturismo e recursos endógenos.

Receita de IRC passa para níveis de 2014. São menos 1,5 mil milhões em 2020

“Andámos seis anos para trás em termos de receita do IRC”, diz Renato Carreira, Tax Partner da Deloitte. Fiscalista recorda que rombo na receita fiscal é em grande parte explicado pelo adiamento dos pagamentos por conta que só serão feitos pelas empresas se no final do ano tiverem lucros que os justifiquem. E a previsão é mais empresas com mais prejuízos, logo menos impostos a entrarem nos cofres do Estado.

Derrocada na Praça de Espanha. “Não estão reunidas as condições para abrir o túnel”, diz vereador

“Todas as pessoas foram evacuadas. Estavam cerca de 300 pessoas dentro da carruagem, das quais resultaram três feridos, mais o segurança. Vão já começar os trabalhos para que sejam retomadas as condições de normalidade o mais depressa possível. Numa análise muito preliminar, prevê-se pelo menos um a dois dias de interrupção”, garantiu o responsável autárquico.
Comentários