Eurogrupo vai analisar “o grau de preparação para o Brexit”

À entrada do Eurogrupo desta sexta-feira, Mário Centeno indicou que os ministros das Finanças vão debater a situação económica da Europa.

Yves Herman/Reuters

O presidente do Eurogrupo adiantou esta sexta-feira, à entrada de uma reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro, que o grupo vai debater a situação económica europeia, à luz dos riscos globais que estão a avolumar-se, entre os quais a saída do Reino Unido da União Europeia.

“Vamos abordar a situação económica. É um assunto importante. A situação é um pouco mista, com tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China, além do Brexit”, indicou Mário Centeno, adiantando que o Eurogrupo vai “reanalisar o grau de preparação para a saída do Reino Unido, que vai ainda implicar algum trabalho”.

A reunião servirá ainda para debater a substituição de Benoit Coeuré no Banco Central Europeu, e serão também ouvidos os novos ministros das Finanças da Grécia e de Itália, na sequência dos governos formados nos dois países.

“Vamos ouvi-los quanto às prioridades políticas dos novos governos. Queremos compreender como os dois países querem traduzir nessas políticas o cumprimento dos compromissos que estabelecemos entre nós, em nome do crescimento económico e responsabilidade orçamental”, disse o também ministro das Finanças português.

Recomendadas

“Mercados em Ação”: Assista ao programa desta semana

Acompanhe o “Mercados em Ação” no site e nas redes sociais do Jornal Económico. E reveja-o através da plataforma multimédia JE TV.

UGT espanhola propõe um ano de teletrabalho para funcionários do Estado

Sindicato pretende regular o regime de trabalho com uma negociação coletiva. Após o confinamento, mais de metade dos funcionários públicos retomaram o trabalho de forma presencial.

Pandemia põe em risco mais de 40% dos empregos no Algarve, estima OCDE

A OCDE calcula que o emprego poderá cair, em média, entre 4,09% e 4,98% em 2020 nos países que fazem parte da organização, devido à pandemia, sendo que o impacto desta crise difere de país para país e até de região para região.
Comentários