Euronext quer comprar bolsa da Noruega

O negócio ainda não está concluído, mas, a concretizar-se é mais um passo na concentração, depois da aquisição da bolsa da Irlanda.

A Euronext abordou a bolsa norueguesa, a Oslo Børs, para a aquisição dos seus ativos por 625 milhões de euros, informa aquela estrutura em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A gestora de índices acionistas sublinha que não há obrigação por parte dos noruegueses de aceitarem a proposta, mas também que tem já o apoio de acionistas representantes de 49,6% do capital.

O montante da oferta representa um prémio de 32% face ao preço de fecho de dia 17 de dezembro e de 34% em relação à média de preço das ações dos últimos três meses. “A oferta da Euronext fica sujeita a certas condições, incluindo um período curto de due diligence, um limite mínimo de aceitação de 50%, aprovações regulamentares e um voto favorável dos acionistas da Euronext”, sublinha a empresa.

Caso a oferta seja aceite, aumenta o número de países cujas bolsas são geridas pela Euronext para sete. Atualmente, este grupo inclui a Irlanda, a Bélgica, França, Holanda, Reino Unido e Portugal.

“A Euronext acredita firmemente que o posicionamento estratégico e competitivo único da Oslo Børs VPS, incluindo uma posição de liderança global em derivados de marisco e uma profunda experiência nos serviços petrolíferos e navegação, fortaleceria ainda mais a posição da Euronext como a infraestrutura de mercado líder para o financiamento do real da economia na Europa”, acrescenta a Euronext.

Uma vez concluída a aquisição, ela segue-se à da bolsa da Irlanda pela Euronext em março deste ano, em linha com a estratégia do grupo de aquisições com vista ao reforço do mercado pan-europeu.

Recomendadas

PremiumSociedades anónimas têm quatro dias para identificar acionistas

Incumprimento pode determinar exoneração da qualidade de acionista. Advogados apontam contradições com proteção de dados

Centeno diz que 72% dos precários tiveram ‘luz verde’ para ingressar no Estado

O ministro das Finanças, Mário Centeno, disse esta sexta-feira no parlamento que 72% dos trabalhadores que recorreram ao programa de regularização extraordinária dos vínculos precários do Estado (PREVPAP) tiveram parecer favorável, recusando que haja atrasos no processo.

PremiumCalçado português negoceia com Amazon canais para acelerar exportações

Acordo com o gigante Amazon permitiria ao setor do calçado aumentar canais de venda nos mercados de exportação. Agência Aicep está atenta aos contactos entre a APICCAPS e a Amazon.
Comentários