Ex-bastonário da Ordem dos Advogados de Cabo Verde detido por negócio de terreno

No âmbito da investigação foram realizadas várias diligências, tendo o Ministério Público cabo-verdiano promovido a emissão de mandados de busca a vários locais, na cidade da Praia, entre os quais a dois escritórios.

A Procuradoria-Geral da República de Cabo Verde revelou que a detenção do ex-bastonário da Ordem dos Advogados Arnaldo Silva está relacionada com alegados crimes na aquisição e venda de terrenos na Praia, processo com mais seis suspeitos.

Em comunicado, a Procuradoria refere que decorre uma investigação a “indícios de ilícitos criminais relacionados com a aquisição e venda de terrenos na cidade da Praia”, os quais são “suscetíveis de integrarem os crimes de burla qualificada, falsificação de documentos, organização criminosa e lavagem de capitais”.

No âmbito da investigação, que contou com o apoio da Polícia Judiciária, foram realizadas várias diligências, tendo o Ministério Público cabo-verdiano promovido a emissão de mandados de busca a vários locais, na cidade da Praia, entre os quais a “dois escritórios de um advogado identificado, autorizadas e presididas pelo juiz, em observância de todos os pressupostos legais”.

“Para além do detido, as diligências de instrução até agora realizadas permitiram a identificação de mais seis suspeitos, todos pessoas singulares”, esclarece a Procuradoria-Geral da República de Cabo Verde, sublinhando que o processo continua em instrução e em segredo de justiça.

O advogado detido quarta-feira na cidade da Praia pela Polícia Judiciária, suspeito da prática de crimes de burla, corrupção e organização criminosa, é o antigo bastonário da Ordem dos Advogados de Cabo Verde, Arnaldo Silva.

A informação foi confirmada à Lusa por uma fonte do escritório do Arnaldo Silva e Associados, na cidade da Praia, que explicou que após as buscas realizadas na quarta-feira, as instalações estavam hoje a funcionar normalmente, embora sem a presença do advogado.

Arnaldo Pina Pereira Silva foi bastonário da Ordem dos Advogados de Cabo Verde durante dois mandatos de três anos, entre 2006 e 2012, tendo antes desempenhado cargos governativos no país.

A Polícia Judiciária de Cabo Verde anunciou esta quinta-feira a detenção, na cidade da Praia, de um advogado, suspeito da prática de crimes de burla, corrupção e organização criminosa, entre outros.

Em comunicado, sem identificar o detido, aquela força policial referiu que a operação que levou à detenção foi realizada na quarta-feira por elementos da Secção Central de Investigação de Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira, em cumprimento de um mandado de busca e detenção emitido pelo Ministério Público da Comarca da Praia.

A operação envolveu buscas aos escritórios e residência do advogado em causa, na Praia, as quais foram lideradas por um juiz e acompanhadas por dois magistrados do Ministério Público e pela bastonária da Ordem dos Advogados de Cabo Verde, acrescentou a Polícia Judiciária.

A detenção do advogado, que foi ontem presente a tribunal para primeiro interrogatório judicial, aconteceu “fora de flagrante delito”, sendo suspeito de crimes de burla qualificada, falsificação de documentos, organização criminosa, corrupção ativa, falsidade informática e lavagem de capitais. Não são conhecidas ainda as medidas de coação aplicadas pelo tribunal ao advogado.

Ler mais
Recomendadas

Empresários russos interessados em investir nas pescas em Cabo Verde

“Ficaram de fazer uma visita a Cabo Verde antes do final do ano para recolherem dados mais precisos e assim poderem preparar o seu projecto definitivo”, disse o ministro do Turismo e da Economia Marítima cabo-verdiano.

Presidente promulga com “dúvidas” venda de banco da Caixa em Cabo Verde

A CGD está a vender o Banco Comercial do Atlântico, um dos dois detidos pelo grupo bancário público em Cabo Verde, mantendo a sua participação no banco Interatlântico.

Ilha do Fogo vai acolher 10ª reunião do Conselho de Ministros do Turismo da CPLP

“Cabo Verde tem feito o gesto de abrir cada vez mais a nossa fronteira com a isenção de vistos, mas ainda estamos longe de ter este nível de correspondência dos demais países”, diz o ministro do Turismo cabo-verdiano.
Comentários