PremiumEx-secretário de Estado orienta reestruturação financeira do CDS-PP

Leonardo Mathias, antigo ‘número dois’ de Pires de Lima, foi escolhido para resolver situação financeira do CDS-PP. Tem como missão colocar a dívida em níveis geríveis, afastando-a o máximo que possível dos dois milhões.

O gestor Leonardo Mathias, que desempenhou as funções de secretário de Estado da Economia durante o primeiro Governo de Pedro Passos Coelho, está a trabalhar no plano de reestruturação financeira do CDS-PP. Ao que o Jornal Económico (JE) apurou, Leonardo Mathias terá sido escolhido pela secretaria-geral do CDS-PP, mas a decisão não terá sido comunicada aos conselheiros nacionais do partido.

O JE sabe que a direção dos democratas-cristãos tem estado empenhada em reestruturar as contas do CDS-PP, depois de a dívida se ter agravado com a derrota nas eleições legislativas de 6 de outubro. Para lidar com a situação, a direção terá concordado em convocar o gestor Leonardo Mathias, que faz parte da Comissão Política Nacional, para fazer um plano de recuperação económica e “saneamento financeiro”, contam ao JE fontes do CDS-PP, às quais o ex-secretário de Estado terá sido apresentado como responsável pelo processo em curso.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumJurista Benja Satula diz que justiça poderia “facilmente” arrestar bens e empresas em Portugal

O combate ao enriquecimento ilícito em Angola vai subir de tom quando reabrir o ano judicial em Luanda. Ao Jornal Económico, o diretor do Centro de Investigação de Direito da Universidade Católica de Angola destaca a conivência de auditores e advogados nesta questão.

PremiumFunção Pública ganha 46% acima da média dos trabalhadores

Médicos, professores, militares e jornalistas são os que ganham mais no Estado. Número de licenciados inflaciona média e CGTP diz que valor deve ser medido do técnico operacional até ao técnico superior.

PremiumRangel Pharma vai investir mais 12 milhões de euros

Após dez anos de atividade na logística farmacêutica, Nuno Rangel, CEO do Grupo Rangel, revela um plano de investimentos a cinco anos para quase duplicar a área de armazenagem e criar mais 130 empregos em Portugal.
Comentários