Existem 76 surtos ativos em ambiente escolar, diz DGS

De acordo com o subdiretor-geral da Saúde e com os dados disponíveis na DGS, existem até à data de hoje 489 surtos ativos em Portugal, sendo que os 76 contraídos em ambiente escolar se encontram espalhados pelo país mas com maior incidência em Lisboa e Vale do Tejo. 

António Cotrim / Lusa

A Direção-Geral da Saúde (DGS) admitiu esta terça-feira, 15 de dezembro, a existência de 76 surtos em ambiente escolar, estando incluído neste ambiente “creches, escolas e ensino superior”, revelou Rui Portugal, subdiretor-geral da Saúde.

De acordo com o subdiretor-geral da Saúde e com os dados disponíveis na DGS, existem até à data de hoje 489 surtos ativos em Portugal, sendo que os 76 contraídos em ambiente escolar se encontram espalhados pelo país mas com maior incidência em Lisboa e Vale do Tejo.

Rui Portugal admitiu a existência de um surto ativo no região Norte, quatro no Centro, cinco no Alentejo e quatro no Algarve. Lisboa e Vale do Tejo soma 62 surtos ativos na comunidade escolar, sendo então a região do país com mais casos neste ambiente.

A Fenprof, por sua vez, admitiu no início do mês a existência de mais de 1.011 escolas e agrupamentos de escolas com surtos ativos, acusando ainda o governo de continuar a desvalorizar o problema. A entidade liderada por Mário Nogueira pediu ainda para o Ministério da Saúde divulgar a lista de escolas onde se verificam casos de Covid-19, o número de casos em cada uma e os procedimentos que estão a ser adotados nas mesmas.

Recomendadas

Açores deixam de exigir teste à chegada com fim do estado de emergência

Em outubro, o anterior executivo socialista promoveu a iniciativa “Voucher Destino Açores Seguro” para quem chegasse com um teste negativo, também no valor de 35 euros, que podia ser gasto em bens e serviços na região.

Vacinação diária de 100 mil pessoas “dentro de duas a três semanas”

Segundo Henrique Gouveia e Melo, a segunda fase da vacinação está a ser organizada e testada e as “indicações são positivas”, sendo necessário vacinar cerca de 100 mil pessoas diariamente, já “dentro de duas a três semanas”, para utilizar todas as vacinas que o país vai receber.

Vacinação necessita de reforço de 1.700 profissionais de saúde

Segundo o coordenador do plano de vacinação, este cálculo “já foi comunicado”, existindo diversas opções que, neste momento, “estão em cima da mesa e que estão a ser tratadas para garantir que esses profissionais de saúde estejam disponíveis” para a nova fase da vacinação no país que tem a meta de vacinar cerca de 100 mil pessoas por dia.
Comentários