F. Ramada espera mais-valia de 40 milhões com venda da BASE Holding

A BASE Holding opera no setor da saúde e atingiu o ano passado uma faturação consolidada de cerca de 80 milhões de euros.

A F. Ramada deverá encaixar uma mais-valia estimada em cerca de 40 milhões de euros com a venda da sua participação financeira na BASE Holding, uma empresa que opera no setor da saúde.

De acordo com um comunicado hoje enviado à CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a empresa do grupo de Paulo Fernandes anunciam que chegou a acordo, em conjunto com os demais acionistas, com a Medicina Laboratorial – Doutor Carlos da Silva Torres, S. A. para a alienação da totalidade da sua participação no capital social da sociedade BASE Holding, SGPS, SA.

A BASE Holding é a empresa-mãe de um grupo de empresas que desenvolve a sua atividade no setor da saúde, mais especificamente nos meios complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT), nas áreas das análises clínicas, imagiologia, cardiologia e gastroenterologia.

Neste momento, a BASE Holding conta com 350 médicos, detendo 14 laboratórios, 44 unidades de radiologia e sete unidades de cardiologia, implantadas em todo o país.

No ano de 2016, a BASE Holding atingiu uma faturação consolidada de aproximadamente 80 milhões de euros.

“A concretização da transação está sujeita a notificação prévia à autoridade da Concorrência, nos termos previstos no regime jurídico da concorrência, e, por esta razão, condicionada à decisão de não oposição da autoridade da concorrência, estimando-se a sua conclusão durante o segundo semestre de 2017”, alerta o referido comunicado da F. Ramada.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários