Facebook sofre a maior quebra da sua história. 2 mil milhões afetados. Instagram, Whatsapp e Messenger também estiveram em baixo

Além do Facebook, outros dos seus serviços também estiveram em baixo, como o programa de mensagens Messenger, ou a aplicação de partilha de imagens Instagram. A última vez que o Facebook tinha tido uma quebra desta magnitude foi em 2008, mas então tinha apenas 150 milhões de utilizadores.

O Facebook sofreu a maior quebra da sua história. A rede social esteve indisponível durante parte do dia de quarta-feira, afetando os seus 2,3 mil milhões de utilizadores em todo o mundo.

Além do Facebook, outros dos seus serviços também estiveram em baixo, como o programa de mensagens Messenger, a aplicação de partilha de imagens ou a plataforma de mensagens Whatsapp.

Esta quinta-feira as aplicações estão a voltar à normalidade. O Instagram anunciou mesmo no Twitter que já estava novamente em linha.

“Estamos conscientes que algumas pessoas estão a ter problemas a aceder ao Facebook ou à sua família de aplicações. Estamos a trabalhar para resolver este assunto o mais rapidamente possível”, disse a rede social em comunicado, citado pela BBC esta quinta-feira, 13 de Março.

A rede social não adiantou as causas para esta quebra, mas garantiu não se tratar de um ciberataque.

A última vez que o Facebook tinha tido uma quebra desta magnitude foi em 2008, quando a rede social tinha apenas 150 milhões de utilizadores, um número muito abaixo dos atuais 2,3 mil milhões de utilizadores.

 

Ler mais
Recomendadas

PAN pede campanha informativa sobre 5G em Matosinhos

Matosinhos tem uma Zonal Livre Tecnológica, promovida pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento, da qual faz parte a NOS. A operadora usa a zona para testar 5G e em outubro anunciou ter coberto “integralmente” com a nova tecnologia móvel. Agora o PAN pede palestras, conferências e debates por toda a cidade para explicar o que é o 5G.

PremiumPropostas não vinculativas pela Brisa são esperadas até 19 de dezembro

O grupo José de Mello e o fundo Arcus, que controlam a maioria do capital, colocaram à venda 80% da empresa (40% cada um).

Transporte de passageiros nos aeroportos nacionais regista crescimento de 6,6%

Este valor representa um aumento de 7,8% em relação ao trimestre anterior num total de 18,8 milhões de passageiros. Em sentido inverso, o transporte de mercadorias verificou quebras de 12,9% nos portos marítimos nacionais, 15,9% por ferrovia e 5,8% por via rodoviária.
Comentários