Falta de mão de obra qualificada retrai crescimento alemão

Embora esteja previsto um “crescimento robusto” em torno dos 2%, o Instituto de Estudos Económicos da Universidade de Colónia (IW) acredita que a economia alemã podia estar mais forte, se não fosse a escassez de pessoal qualificado.

A falta de mão de obra qualificada é um dos principais entraves a um maior crescimento económico na Alemanha, alerta o Instituto de Estudos Económicos da Universidade de Colónia (IW). Embora esteja previsto um “crescimento robusto” em torno dos 2%, o IW acredita que a economia alemã podia estar mais forte, se não fosse a escassez de pessoal qualificado.

“As empresas investiriam mais em equipamentos e tecnologia se tivessem mais trabalhadores qualificados disponíveis em grande parte dos setores económicos”, explica o diretor da IW, Michael Hüther, citado pelo jornal espanhol ‘Expansión’.

Michael Hüthe explica que muitas empresas estão a trabalhar até ao limite das suas possibilidades para atender à forte procura de bens e serviços no país e a nível internacional. Um estudo feito pelo IW mostra que 47% das empresas admitem que a falta de profissionais qualificados é um dos principais obstáculos ao aumento da produção empresarial.

Ainda assim, quase metade das empresas prevê aumentar a sua produção no próximo ano. Apenas 9% discordam desta opinião e afirmam que esperam uma redução no volume de produção. Mais de 40% das empresas querem ainda aumentar a sua força de trabalho, enquanto 11% estão a pensar em reduzi-la.

Recomendadas

Comissão Europeia fecha contrato com Novavax para 100 milhões de doses de vacinas (com áudio)

“Reforça ainda mais o nosso vasto portefólio de vacinas, em benefício dos europeus e dos nossos parceiros em todo o mundo”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen sobre o acordo com a farmacêutica norte-americana.

Sector privado norte-americano criou 330 mil postos de trabalho em julho

O relatório da ADP aponta para mais 330 mil postos de trabalho no mês passado, um número bastante aquém das expectativas e do registado no mês anterior, ambos quase nos 700 mil empregos. O sector dos serviços foi responsável pela maioria deste resultado.

Assédio sexual: o fim da carreira política do democrata Andrew Cuomo (com áudio)

O democrata que capitalizou politicamente os seus desentendimentos constantes com o ex-Presidente Donald Trump deixou de ter a confiança do seu partido. A sua carreira política acabou desde que o atual presidente, Joe Biden, sugeriu que devia deixar o cargo.
Comentários