Fed continua em modo de pausa e mantém taxas de juro inalteradas

O banco central norte-americano manteve a ‘federal funds rate’ fixada num intervalo entre 2,25% e 2,50%.

A Reserva Federal norte-americana manteve a taxa de juro de referência (federal funds rate) inalterada, em linha com as expetativas dos analistas. A federal funds rate continua fixada num intervalo entre 2,25% e 2,50%, anunciou o Federal Open Market Committee (FOMC), após a reunião de dois dias que terminou esta quarta-feira.

A última vez que o FOMC implementou um aumento na federal funds rate foi em dezembro do ano passado. Na reunião de janeiro a instituição liderada por Jerome Powell alterou a posição em relação ao percurso dos aumentos das taxas de juro dizendo que irá ser paciente, tendo em conta os desenvolvimentos económicos e financeiros, quando anteriormente apontava para aumentos graduais.

Essa posição foi mantida na reunião de março, com as avaliações dos membros do FOMC a apontarem para a manutenção da taxa de juro no nível atual até pelo menos o final do ano.

As atenções recaem agora sobre a conferência de imprensa de Jerome Powell às 18h30, com os mercados expectantes sobre os comentários que o presidente do banco central poderá fazer sobre o impacto dos últimos desenvolvimentos macroeconómicos na política monetária.

A economia dos Estados Unidos cresceu ao ritmo anual de 3,2% no primeiro trimestre deste ano, acima do previsto pelos analistas,  que esperavam uma taxa de cerca de 2,3%, . O valor, divulgado na passada sexta-feira, representa uma aceleração do crescimento económico face ao último trimestre de 2018, quando o Produto Interno Bruto aumentou 2,2%.

No comunicado divulgado esta quarta-feira, o FOMC referiu que os dados indicam que o mercado de trabalho permanece forte e que a atividade económica tem crescido a um ritmo sólido. Adiantou ainda que o crescimento do consumo das famílias e o investimento fixo das empresas desacelerou no primeiro trimestre.

“Numa base a 12 meses, a inflação geral e a inflação para itens à excepção de produtos alimentares e energia caíram e estão abaixo dos 2%”, explicou.

[Atualizada às 19h07]

 

Ler mais
Relacionadas

Economia dos EUA cresce 3,2% no 1.º trimestre, acima do previsto

Este valor supera as estimativas dos analistas, que esperavam uma taxa de cerca de 2,3%, e significa um aceleramento do crescimento económico face ao último trimestre de 2018, quando o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 2,2%.

‘Dot plot’: Mais de dois terços dos membros da Fed não vêem mais subidas nos juros este ano

De acordo com o ‘dot plot’, diagrama que ilustra o nível em que os membros vêem essa taxa no final do ano, 11 dos 16 decisores acredita que a ‘federal funds rate’ irá continuar no intervalo dos 2,25% a 2,50% até 2020.

Mario Draghi mostra-se preocupado com independência da Reserva Federal dos EUA

“Certamente estou preocupado com a independência do banco central em outros países, especialmente na jurisdição mais importante do mundo”, afirmou o presidente do Banco Central Europeu sobre os EUA.

Reserva Federal vai abrandar redução do balanço a partir de maio

O Federal Open Market Committee (FOMC) anunciou, no final da reunião de dois dias esta quarta-feira, que pretende “abrandar a redução do seu ‘stock’ de ativos do Tesouro ao reduzir o limite das amortizações mensais do atual nível de 30 mil milhões de dólares para 15 mil milhões a partir de maio de 2019”.
Recomendadas

Web Summit: Empresas portuguesas que participaram em 2016 arrecadaram financiamentos de 60 milhões de euros

As ‘startup’ portuguesas que participaram na primeira edição da cimeira tecnológica Web Summit em Lisboa, há três anos, já arrecadaram quase 60 milhões de euros em financiamento após 41 rondas de investimento, informou a organização à agência Lusa.

Reaberta circulação ferroviária na Linha de Cascais

A circulação ferroviária na Linha de Cascais, que esteve interrompida por causa de um atropelamento ao início da manhã de hoje, foi retomada cerca das 08:30, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

Países do Mercosul aceleram entrada em vigor do acordo com União Europeia

Os países do Mercosul concordaram em entrar individualmente no acordo com a União Europeia à medida que o parlamento de cada Estado aprovar o texto, sem esperarem pela aprovação de todos as nações para oficializar a integração.
Comentários