FEI e CGD assinam garantias de mais de mil milhões para recuperar empresas portuguesas

As duas instituições assinaram os dois primeiros acordos em Portugal no âmbito do Fundo Pan-Europeu de Garantia (FEG). Fundo Europeu de Investimento assumirá 70% do risco do financiamento da dívida concedido pela Caixa Geral de Depósitos às PME portuguesas.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

O Fundo Europeu de Investimento (FEI), integrado no Grupo Banco Europeu de Investimento, e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) assinaram os dois primeiros acordos em Portugal no âmbito do Fundo Pan-Europeu de Garantia (FEG) num valor de 1.050 milhões de euros para apoiar a recuperação das empresas portuguesas, informou a CGD em comunicado esta quinta-feira, 18 de março.

Uma das garantias de 400 milhões de euros vai incidir no apoio às pequenas e médias empresas com necessidades de liquidez e investimentos em regeneração urbana sustentável, enquanto a outra garantia de 650 milhões de euros vai proporcionar a liquidez necessária às empresas que pretendem adaptar os seus modelos de negócio, enfrentando necessidades de refinanciamento ou investindo em projeto “verdes” e sustentáveis.

O Fundo Europeu de Investimento assumirá 70% do risco do financiamento da dívida concedido pela Caixa Geral de Depósitos às PME portuguesas.

Alain Godard, CEO do FEI, salienta que “graças à garantia do FEG, o FEI e a CGD vão poder proporcionar às empresas portuguesas períodos de carência mais longos, requisitos de garantias reduzidos e maturidade alargada, apoiando as PME que tenham estado particularmente expostas à pandemia Covid-19”.

Por sua vez, Ricardo Mourinho Félix, vice-presidente do BEI, responsável pelas operações do Grupo BEI em Portugal, realça que “as pequenas e médias empresas são as mais atingidas pela crise econômica causada pela pandemia. O apoio às PME portuguesas é uma das principais prioridades do Grupo BEI para 2021 e esta operação mostra o nosso forte empenho na concretização deste objetivo.”

Já o presidente da Comissão Executiva da CGD, Paulo Moita de Macedo, explica que “esta crise tem um impacto altamente assimétrico nos vários sectores. Mas há a necessidade de renovação e de aumento do investimento em setores transversais como a digitalização e o investimento ambientalmente responsável”.

Recomendadas

Governo lança Linha Retomar de mil milhões para crédito a empresas pós-moratórias

A medida pode beneficiar 23,8 mil empresas dos sectores mais afetados pela pandemia e que têm créditos em regime de moratória. Em montante estes créditos somam 8,4 mil milhões de euros, segundo os últimos dados do Banco de Portugal.

BPI emite 700 milhões de dívida para MREL e CaixaBank compra tudo

No final de junho, o BPI tinha um rácio MREL em percentagem dos RWA de 19,8% e cumpria com o requisito intermédio de MREL estabelecido para 1 de janeiro 2022, de 19,05%, sendo que após esta emissão o rácio MREL proforma em junho ascende a 23,6%.

Banco de Portugal não renova recomendação aos bancos sobre distribuição de dividendos

O BdP acaba com a suspensão de dividendos ou de prémios aos gestores, mas pede aos bancos que assegurarem que são retidos capitais próprios suficientes para fazer face a uma possível deterioração da qualidade dos ativos.
Comentários