Fernando Medina diz que atual mulher pediu exoneração antes de iniciarem “relação pessoal”

Presidente da Câmara de Lisboa reage a notícia do “i” com a garantia de que não tinha qualquer relação pessoal com Stéphanie Sá Silva, filha do ex-ministro Jaime Silva, quando a nomeou para o seu gabinete quando era secretário de Estado.

Cristina Bernardo

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, garantiu através das suas contas nas redes sociais que só iniciou “uma relação pessoal” com a atual mulher, Stéphanie Sá Silva, depois de esta ter pedido a exoneração do cargo de adjunta do seu gabinete enquanto secretário de Estado Adjunto da Indústria e do Desenvolvimento. Esta foi a reação do autarca da capital à notícia do jornal “i”, publicada nesta terça-feira, “Medina nomeou a sua mulher como adjunta”.

“Em 26 de novembro de 2009, há quase dez anos, nomeei para o meu gabinete Stéphanie Sá Silva, advogada especialista em matéria de concorrência numa reputada sociedade de advogados, não tendo com a mesma qualquer relação ou conhecimento pessoal prévio”, começa por escrever Fernando Medina, depois de garantir que “a ‘notícia’ é falsa” e que “os factos são públicos e estão documentados”.

Ainda segundo Medina, “em 31 de janeiro de 2011, por pretendermos ter uma relação pessoal, Stéphanie Sá Silva pediu a exoneração”. Nessa altura a atual mulher do presidente da Câmara de Lisboa, que é filha do ex-ministro da Agricultura socialista Jaime Silva, “regressou ao seu lugar de origem, na mesmíssima sociedade de advogados que integrava antes de ter sido nomeada”.

O autarca informa ainda que casou com Stéphanie Sá Silva a 17 de junho de 2012, quando esta “prosseguia atividade de advogada no mesmo escritório privado” e ele “já não desempenhava funções governativas”.

“Em nenhum momento tive qualquer interferência no desenvolvimento da sua carreira profissional que fez sempre, exclusivamente, por sua iniciativa e méritos”, diz ainda Fernando Medina, que por considerar “ofensiva do bom nome dos visados a manipulação dos factos e das datas” anunciou queixas à Entidade Reguladora para a Comunicação Social, à Comissão da Carteira Profissional de Jornalista, e uma ação cível contra o jornal.

Recomendadas

Presidente chinês vai participar em cimeira virtual sobre clima organizada por Biden

China e Estados Unidos são os dois maiores emissores de gases de efeito estufa, a fonte do aquecimento global. O acordo entre os dois países é, portanto, considerado crucial para o sucesso dos esforços internacionais na redução das emissões.

Ibero-Americana: Marcelo e Costa pelo multilateralismo e contra desunião no combate à covid-19

“Estamos todos no mesmo barco, ninguém se salva sozinho”, declarou o chefe de Estado, antes de acentuar perante o rei e o primeiro-ministro de Espanha que o combate à pandemia da covid-19 “é uma questão global e não de uma questão eleitoral, partidária, de um grupo social ou económico”.

Portugal respondeu a Bruxelas sobre atraso na adoção de diretiva das telecomunicações dez dias depois do prazo

A Comissão Europeia está agora a avaliar os argumentos apresentados por Portugal para explicar o atraso na adoção da diretiva europeia. Dos 24 Estados-membro alvo de um processo de infração apenas a Dinamarca concluiu a transposição. Há 15 países na mesma situação que Portugal.
Comentários