Fesap anuncia greve nacional na função pública no dia 31

O protesto foi anunciado pelo dirigente da Fesap, José Abraão, em conferência de imprensa, em Lisboa, e coincide com o dia da manifestação nacional marcada pela estrutura da CGTP, a Frente Comum, e com a greve de professores convocada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) anunciou hoje uma greve nacional para dia 31 contra a proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) que considera ser “ofensiva” e “inaceitável” por prever aumentos salariais de 0,3%.

O protesto foi anunciado pelo dirigente da Fesap, José Abraão, em conferência de imprensa, em Lisboa, e coincide com o dia da manifestação nacional marcada pela estrutura da CGTP, a Frente Comum, e com a greve de professores convocada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof).

“A Fesap recusa a ideia de que a proposta de Orçamento do Estado para 2020 esteja fechada antes da votação final global que terá lugar a 06 de fevereiro e consubstanciará as reivindicações dos trabalhadores em ações de luta que incluem, entre outras, a greve do dia 31 de janeiro”, lê-se no comunicado distribuído aos jornalistas.

José Abraão, que já tinha admitido à Lusa avançar para a greve no dia 31, afirmou que “esta vai ser uma grande greve”, que abrange “todos os trabalhadores da administração pública”.

Recomendadas

Restaurantes pedem às 308 autarquias autorização para esplanadas cobertas no inverno

A Associação Nacional de Restaurantes PRO.VAR enviou este domingo um pedido urgente a todas as câmaras municipais para que autorizem a utilização de “esplanadas cobertas” no sentido de poderem enfrentar as condições climatéricas do inverno no combate à Covid-19.

Portugal regista mais 665 novos casos confirmados e nove mortos por Covid-19 nas últimas 24 horas

Segundo o boletim epidemiológico divulgado este domingo, 27 de setembro, cinco vítimas são na Região de Lisboa e Vale do Tejo, duas no Norte e outras duas no Centro. Há, neste momento, 635 internados, dos quais 89 em Unidades de Cuidados Intensivos.

Partido nacionalista propôs restringir entrada de cidadãos da UE na Suíça. Maioria votou contra

A proposta, intitulada “Iniciativa para uma Imigração Moderada”, quer que o Governo suíço suspenda um acordo bilateral existente com a UE sobre a livre circulação de pessoas e assuma o controlo total da política de imigração do país.
Comentários