FESTin: Uma celebração do cinema de língua portuguesa no São Jorge

O festival de cinema, que se realiza desde 2011, pretende celebrar a cultura cinematográfica dos países de língua portuguesa e “fomentar a interculturalidade”.

O Festival de Cinema Itinerante de Língua Portuguesa termina amanhã, mas ainda tem dois dias para ver vários filmes em língua portuguesa, em destaque no São Jorge.

Hoje, às 19 horas, na Sala Manoel de Oliveira, inserido na Mostra Brasileira de Longas passa “Vidas Partidas”, de Marcos Schechtman, e conta com a presença da produtora e atriz Naura Schneider. O filme explora a violência doméstica do Brasil dos anos 80.

Já às 20h30, pode ver “Anjo da Guarda”, de 1998, da portuguesa Margarida Gil. A cineasta com uma extensa carreira no cinema e na televisão, terá exibido no São Jorge os seus filmes mais emblemáticos, como “Rosa Negra” (1992), que fez parte da competição no Festival de Locarno, “Adriana” (2004), “O Fantasma de Novais” (2012) e “Paixão” (2012) e a obra é celebrada por festival.

Uma hora depois, pelas 21h30, pode ver “Sob Pressão”, do realizador brasileiro Andrucha Waddington, que se debruça sobre um cirurgião assolado por uma tragédia pessoal, rodeado por um ambiente hospitalar onde se cruzam crianças, traficantes e polícias.

O Festin, que se realiza desde 2011, pretende celebrar a cultura cinematográfica dos países de língua portuguesa e “fomentar a interculturalidade, a inclusão social e o intercâmbio cultural nos países de língua portuguesa, através da realização de um Festival de Cinema comprometido com a divulgação de diferentes culturas e práticas de respeito à diversidade presente nos povos de Língua Portuguesa”.

Este ano alguns dos eventos encontram-se inseridos na programação da Lisboa 2017 – Capital Ibero-americana de Cultura e que numa data que inclui o Dia Internacional da Mulher, as temáticas femininas estarão presentes tanto na programação cinematográfica quanto nos eventos paralelos. “Estas aproveitam a rubrica do evento ibero-americano – Passado e Presente – para relaciona-lo as atividades que analisam o papel feminino no audiovisual”, sustentou a organização no site.

Os bilhetes têm um custo de 3,00€ (bilhete normal); 2,50€ (bilhete com desconto, até 25 anos e maiores de 65 anos); 1,50€ (estudantes e grupos de mais de 10 pessoas/por pessoa); 1,50€ (Mostra de Documentários/por sessão).

Ler mais
Recomendadas

Financiamento da Comissão Europeia: das luvas eletrónicas aos estúdios de Hollywood

A Comissão Europeia anunciou no final do mês de junho a atribuição de 149 milhões de euros para financiar 83 PME e empresas em fase de arranque. Entre estas, contam-se várias empresas portuguesas.

“O Amigo do Deserto”

Sacerdote, teólogo, crítico literário e fundador do seminário espiritual Buscadores de la Montaña, Pablo d’Ors dá-nos a conhecer nesta obra um homem dedicado aos desertos, que neles busca o absoluto e o silêncio. Eis a sugestão de leitura desta semana da livraria Palavra de Viajante.

Trufa branca: ritual repete-se em Lisboa até dia sete com o ‘chef’ Tanka Sapkota

O ‘chef’ de origem nepalesa Tanka Sapkota, especializado em gastronomia italiana, já há doze anos que proporciona um menu de trufa branca de Alba, no Piemonte, norte de Itália, no restaurante ‘Come Prima’, em plena Lisboa.
Comentários