PremiumFidelidade procura nova sede em Lisboa

Seguradora precisa de mais de 30 mil metros quadrados para concentrar serviços e está a analisar duas possibilidades, em Benfica e na Expo.

A seguradora Fidelidade está à procura de uma nova sede, no concelho de Lisboa, que terá de ter uma área superior a 30 mil metros quadrados, para permitir concentrar os serviços da companhia, apurou o Jornal Económico de fonte ligada ao processo. Nesta altura, estão a ser analisadas duas possibilidades, uma em Benfica e outra na zona da Expo.

Em Benfica, a solução em estudo é o terceiro edifício de escritórios do complexo do Centro Comercial Colombo, do grupo Sonae, que terá 30 mil metros quadrados e cuja construção estava previsto ter-se iniciado este ano. Esta localização tem a vantagem de a Fidelidade ficar localizada mesmo ao lado da Luz Saúde, sendo ambas as empresas controladas pelo grupo chinês Fosun.

Na zona da Expo, a Fidelidade está a estudar o edifício Lumnia, desenhado pelo gabinete de arquitetura Risco. O edifício integra o projeto Exeo Office Campus, está situado ao lado da Gare do Oriente, no Parque das Nações, terá oito pisos (a que acrescem dois pisos subterrâneos de estacionamento) e terá uma área de 30.500 metros quadrados.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Fidelidade entre os principais mecenas do novo Campus da Nova SBE

A companhia pretende criar uma nova experiência e aproximação entre a academia e as novas gerações com o setor dos seguros, com a abertura do Fidelidade Studio no novo Campus da Nova SBE – a Escola de Economia e Gestão da Universidade Nova, em Carcavelos.

Fidelidade compra 1,5 milhões de euros de obrigações emitidas pelo BCP

A seguradora portuguesa da Fosun está a absorver dívida emitida pelo BCP. Em agosto comprou 1,5 milhões de euros de títulos de dívida do banco.
Recomendadas

FinTech provocaram a disrupção da cadeia de valor da banca

Parece consensual entre ‘experts’ que o futuro dos bancos passa por entrarem nas ‘apps’ do telemóvel e que as FinTech vão ser os seus parceiros da inovação tecnológica.

CGD baixa taxa mínima do spread para 1,23%. É o sexto banco a baixar custo do crédito à habitação

Em quatro meses, desde janeiro, seis bancos já reviram em baixa o spread mínimo cobrado aos clientes. O último a fazê-lo foi a CGD, depois do EuroBic, do BPI, do Crédito Agrícola, do Santander Totta e do Montepio.

Deutsche Bank envolvido em esquema de lavagem de dinheiro de 20 mil milhões de dólares sem saber

Ao que tudo indica, entre 2010 e 2014, criminosos russos com ligações ao Kremlin e com o FSB, o sucessor do antigo KGB, utilizaram a operação de lavagem de dinheiro, intitulada Global Laundromat, para colocar capital no sistema financeiro mundial.
Comentários