Financiamento de 1,2 milhões para inovação no turismo com recorde de 35 candidaturas

Os programas de aceleração permitirão às startups “melhorar os seus modelos de negócio, identificar novos clientes e potenciais investidores”, enquanto os programas de ideação serão desenvolvidos em parceria com a rede de Escolas do Turismo de Portugal, com o objetivo de dinamizar ideias de negócio no turismo, em todas as regiões do país.

As candidaturas a um financiamento de 1,2 milhões de euros para programas de inovação no setor do turismo atingiram o número recorde de 35, de 16 promotores, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Economia.

Em comunicado, o gabinete do ministro de Estado, da Economia e Transição Digital refere que, “envolvendo um financiamento de 1,2 milhões euros, a ‘call’ [chamada] para o desenvolvimento de programas de ideação, aceleração e inovação lançada pelo Turismo de Portugal registou um número recorde de 35 candidaturas, promovidas por 16 promotores”.

Os programas de aceleração permitirão às startups “melhorar os seus modelos de negócio, identificar novos clientes e potenciais investidores”, enquanto os programas de ideação serão desenvolvidos em parceria com a rede de Escolas do Turismo de Portugal, com o objetivo de dinamizar ideias de negócio no turismo, em todas as regiões do país.

Segundo o comunicado, o Turismo de Portugal avançou com esta iniciativa em 2016 e nas três edições anteriores foram apoiados programas de ideação e aceleração que envolveram 897 ‘startup’ e projetos, totalizando um investimento de 5,1 milhões de euros, a que correspondeu um incentivo de três milhões de euros.

O Ministério recorda que, entre as diversas medidas lançadas dirigidas ao turismo, no âmbito da pandemia covid-19, foi aberta a Call Fostering Innovation in Tourism, pela Portugal Ventures.

A ‘call’ investe em projetos de turismo na fase ‘pré-seed’, ‘non-tech’ e ‘tech’, “com potencial para contribuir para o desenvolvimento da oferta turística do país, para aumentar a competitividade das empresas no setor e para melhorar a experiência do turista e aumentar o seu grau de satisfação”, lê-se no comunicado.

Foram recebidas 30 candidaturas, incluindo 24 projetos de Turismo Tech, no âmbito desta ‘call’, “destacando-se o caráter internacional dos candidatos”: “além de 18 empreendedores nacionais, as candidaturas incluem 12 empreendedores brasileiros, e ainda empreendedores de mais cinco países”.

Após avaliação, alguns destes projetos serão objeto de investimento pela Portugal Ventures, até ao limite de 100 mil euros por projeto, segundo o comunicado. “A situação de exceção que atualmente se enfrenta impõe que hoje, mais do que nunca, se deva inovar, transitando-se para novos modelos de Economia Circular, Ecoeficiência e Digitalização”, refere a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, citada no comunicado. “Estas iniciativas demonstram que estamos empenhados em construir um destino turístico inovador, comprometido com o turismo do futuro”, acrescenta a governante.

Ler mais
Recomendadas

Altice investe dez milhões de euros na expansão da rede de fibra ótica em dez municípios

Atualmente, a rede de fibra ótica da Altice serve mais de 5,1 milhões de lares e empresas, mas o objetivo da operadora é chegar às 5,3 milhões de habitações. O objetivo passa por tornar Portugal “num dos primeiro países europeus com cobertura integral de fibra ótica”.

Uber só aceita carros elétricos a partir de 16 de julho

Uber quer acelerar eletrificação da frota de automóveis disponibilizados na plataforma. Para já, medida será aplicada aos novos veículos que se registem na plataforma nas áreas de Lisboa, Porto, Braga e Faro, nos serviços UberX, o principal da empresa, e Uber Comfort. Já nos serviços Black e XL, a empresa vai continuar a permitir a inscrição de veículos a gasóleo ou gasolina na sua plataforma, mas somente se substituírem um veículo já registado.

Retrato: 10 números que ilustram a delicada situação que a TAP vive

A pandemia da Covid-19 mudou o destino da companhia aérea portuguesa. Os vários cenários em cima da mesa neste momento apontam para a possibilidade de nacionalização, conforme já avisou o Governo, ou para a saída de um dos acionistas privados da empresa, David Neeleman. Estes 10 números ajudam a compreender a delicada situação que a transportadora aérea vive.
Comentários