Financiamento ligado às alterações climáticas subiu 28% para 35,2 mil milhões, anuncia BAD

“Do total do ano passado, 27,9 mil milhões de dólares, representando 79%, foi dedicado a projetos de mitigação das alterações climáticas que pretendem reduzir emissões nocivas e abrandar o aquecimento global”, anunciou hoje o Banco Africano de Desenvolvimento.

O financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) ligado às alterações climáticas subiu 28% em 2017, atingindo o recorde de 35,2 mil milhões de dólares, com a África subsaariana a receber 16% do total mundial dos fundos.

“Do total do ano passado, 27,9 mil milhões de dólares, representando 79%, foi dedicado a projetos de mitigação das alterações climáticas que pretendem reduzir emissões nocivas e abrandar o aquecimento global”, anunciou hoje o BAD.

“Os restantes 21%, no valor de 7,4 mil milhões de dólares, foram investidos em projetos de adaptação ao clima que ajudam particularmente as economias emergentes e em desenvolvimento a lidar com os efeitos das alterações climáticas, como chuvas fortes, secas mais longas e outros eventos meteorológicos extremos”, acrescenta-se no comunicado distribuído em Abidjan, onde se situa a sede do BAD.

Para além dos 35,2 mil milhões financiados pelo BAD, este tipo de financiamento direcionado para projetos ambientalmente sustentáveis angariou mais 51,7 mil milhões de dólares de outras fontes de financiamento públicas e privadas, o que eleva o total para quase 87 mil milhões de dólares.

No comunicado, o BAD lamenta ainda que o continente africano, “que representa menos de 4% das emissões com efeito de estufa, receba apenas 3% do financiamento climático, apesar de ser o continente mais afetado por estas mudanças”.

Recomendadas

“E a Amazónia?” Pulmão do mundo arde há 16 dias. Fumo escureceu céus de São Paulo, a 2.700 quilómetros de distância

O número de focos de incêndios verificados no Brasil é o maior dos últimos sete anos e diversos ativistas acusaram Bolsonaro de estar a silenciar o que está a acontecer. “O pessoal está pedindo para eu colocar o exército para combater. Alguém sabe o tamanho da Amazónia?”, afirmou Bolsonaro.

Ondas de calor, secas extremas, mais chuva: os verões vão mudar completamente com o aquecimento global

O alerta já foi feito pelo Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, em 2018, sobre os impactos da subida da temperatura em 1,5º Celsius. Agora, um novo estudo vem informar que se o percurso das emissões actuais se mantiver, o aumento dos dois graus Celsius poderá ser alcançado em meados deste século com possibilidade de chegar aos três graus Celsius.

Islândia perde primeiro glaciar e realiza funeral para honrar ‘Ok’

“Nos próximos 200 anos, estima-se que todos os nossos glaciares sigam o mesmo caminho. Este monumento serve para reconhecer que nós sabemos o que está a acontecer e o que precisa de ser feito”, lê-se na descrição da placa colocada para honrar Okjökull.
Comentários