Financiamento ligado às alterações climáticas subiu 28% para 35,2 mil milhões, anuncia BAD

“Do total do ano passado, 27,9 mil milhões de dólares, representando 79%, foi dedicado a projetos de mitigação das alterações climáticas que pretendem reduzir emissões nocivas e abrandar o aquecimento global”, anunciou hoje o Banco Africano de Desenvolvimento.

O financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) ligado às alterações climáticas subiu 28% em 2017, atingindo o recorde de 35,2 mil milhões de dólares, com a África subsaariana a receber 16% do total mundial dos fundos.

“Do total do ano passado, 27,9 mil milhões de dólares, representando 79%, foi dedicado a projetos de mitigação das alterações climáticas que pretendem reduzir emissões nocivas e abrandar o aquecimento global”, anunciou hoje o BAD.

“Os restantes 21%, no valor de 7,4 mil milhões de dólares, foram investidos em projetos de adaptação ao clima que ajudam particularmente as economias emergentes e em desenvolvimento a lidar com os efeitos das alterações climáticas, como chuvas fortes, secas mais longas e outros eventos meteorológicos extremos”, acrescenta-se no comunicado distribuído em Abidjan, onde se situa a sede do BAD.

Para além dos 35,2 mil milhões financiados pelo BAD, este tipo de financiamento direcionado para projetos ambientalmente sustentáveis angariou mais 51,7 mil milhões de dólares de outras fontes de financiamento públicas e privadas, o que eleva o total para quase 87 mil milhões de dólares.

No comunicado, o BAD lamenta ainda que o continente africano, “que representa menos de 4% das emissões com efeito de estufa, receba apenas 3% do financiamento climático, apesar de ser o continente mais afetado por estas mudanças”.

Recomendadas

Matos Fernandes participa em debates sobre sustentabilidade e ‘smart cities’

Esta iniciativa insere-se no âmbito do ciclo de conferências ‘Empowering Sustainable Growth’.

Associações empresariais contestam duplicação da taxa de gestão de resíduos

O Governo aprovou na passada quinta-feira, dia 17 de setembro, em Conselho de Ministros, uma alteração ao regime geral de gestão de resíduos, aumentando o valor da taxa de gestão de resíduos (TGR), de 11 euros por tonelada, para 22 euros por tonelada, a partir de janeiro de 2021.

Pacto Português para os Plásticos quer reiventar o uso deste material

‘Vamos Reinventar o Plástico’ é o mote da campanha do Pacto Português para os Plásticos, que arranca hoje [dia 18 de setembro] e que pretende sensibilizar os consumidores portugueses para uma utilização responsável do plástico.
Comentários