França multa Google e Amazon em 135 milhões por instalação de ‘cookies’ sem autorização do utilizador

Organismo francês de vigilância da atividade digital, explica que as multas foram aplicadas devido à introdução automática nos computadores dos utilizadores que se ligam às suas páginas de internet destes ficheiros para fins publicitários.

A França aplicou uma multa de 135 milhões de euros às empresas Google (100 milhões de euros) e Amazon (35 milhões de euros devido à instalação de ‘cookies’ sem autorização dos seus utilizadores, revela o jornal espanhol “Expansión” esta quinta-feira, 10 de dezembro.

A Comissão Nacional de Informática e Liberdade (CNIL na sigla francesa) explica em comunicado que as multas foram aplicadas devido à introdução automática nos computadores dos utilizadores que se ligam às suas páginas de internet destes ficheiros para fins publicitários.

O organismo fez questão de deixar bem claro que “este tipo de ‘cookies’ não pode ser instalado sem o consentimento do utilizador”, salientando que as janelas de informação sobre ‘cookies’ não acrescentavam “qualquer informação” ao utilizador sobre as que já se encontravam instaladas no computador desde que se ligou às páginas das empresas na internet.

Segundo os cálculos do CNIL, as práticas da Google, que obtém receitas publicitárias indiretamente graças às informações recolhidas por ‘cookies’ afetaram cerca de 50 milhões de utilizadores em França. O organismo apela às duas empresas que alterem as janelas de informação dos clientes no prazo de três meses.

Se tal não vier a suceder, o CNIL aplicará uma multa de 100 mil euros por cada dia de atraso. De recordar que em janeiro de 2019, o CNIL já tinha multado a Google em 50 milhões de euros por falta de transparência, informação incorreta e falta de consentimento em publicidade personalizada.

Recomendadas

Ex-autarca do Porto diz que volumetria do projeto do El Corte Inglés é “absurda”

No mês passado, o Bloco de Esquerda denunciou que a Câmara do Porto “abdicou de 31 mil m2 para espaços verdes no projeto do Corte Inglês na Boavista, por considerar não serem necessários devido à proximidade da Rotunda da Boavista”. Para Nuno Cardoso, “tem uma densidade absolutamente desmesurada”.

PremiumPortugal é um mercado “importante” para a chinesa Oppo

A fabricante de smartphones quer crescer na Europa e vai investir 6 mil milhões em ‘R&D’ em três anos. Em Portugal, “reforçar a presença” deve passar por acordos com operadores e retalhistas.

PremiumEDP Renováveis vai construir centrais eólicas marítimas na Grécia

EDPR forjou parceria com companhia helénica para instalar 1,5 gigawatts nos mares gregos. Esta é a segunda parceria fechada em cinco meses na Grécia.
Comentários