França vai reduzir dependência nuclear e aumentar participação na EDF

França avança com planos de fechar centrais nucleares e diminuir a dependência na energia nuclear até 50%.

França vai reduzir gradualmente a sua dependência em energias nucleares para 50% até 2035, mas só vai fechar duas centrais nucleares antes do final do mandato presidencial em 2022, disse o presidente francês, Emmanuel Macron, esta terça feira.

Uma fonte próxima do palácio presidencial do Eliseu revelou que o governo também considerará aumentar a participação do estado para 83,7% na EDF (Électricité de France) e pedirá à empresa que considere propostas sobre a mudança de estrutura, noticia a agência ”Reuters”.

A mesma fonte disse que qualquer alteração na estrutura proposta pela EDF teria que preservar a integridade da distribuidora e alocar financiamento adequado para cada uma de suas atividades.

“O estado vai considerar aumentar sua participação no capital da empresa, em linha com os desafios e riscos ligados à atividade nuclear”, afirmou a fonte que se recusou a ser mais específica. No entanto, especialistas do setor esperam que a EDF possa colocar as suas atividades nucleares numa unidade legal separada, na qual o estado poderia aumentar sua participação para 100%.

Macron já tinha prometido que 14 das 58 centrais nucleares da EDF seriam encerradas até 2035. Entre quatro a seis fechariam portas antes de 2030, duas em 2027-2028 e possivelmente outras duas em 2025-2026, caso isso não comprometa a segurança do fornecimento de energia.

Relacionadas

França mantém intenção de aumentar impostos sobre os combustíveis

O anúncio foi feito hoje de manhã pelo porta-voz do Governo francês, Benjamin Griveaux, numa conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros.

Brexit: Macron alerta para necessidade de refundação da Europa

O Presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu hoje que o ‘Brexit’ é a prova de que a União Europeia (UE) é frágil e que precisa de ser refundada, em declarações à chegada do Conselho Europeu em Bruxelas.

Manifestações em Paris: Macron condena violência

Segundo os últimos dados divulgados pelo ministro do Interior, hoje à tarde foram registados exatamente 106.301 manifestantes com “coletes amarelos” em toda a França, quando há uma semana eram 282.710.
Recomendadas

PremiumSantander vende quatro parques solares do Glennmont Partners em Portugal

Propostas não vinculativas para quatro parques solares no país serão recebidas pelo Santander Portugal nesta segunda-feira.

Dona da Bolsa de Lisboa vai comprar 66% da norueguesa Nord Pool

A Euronext anunciou uma operação de franchise para ‘dar gás’ a negociação no setor da energia. A empresa vale cerca de 84 milhões de euros.

Associação de Municípios Ribeirinhos do Douro alerta para risco de Iberdrola ficar com a supremacia do rio

A Iberdrola já tem 20 barragens no Douro e quer comprar mais seis à EDP. Fonte oficial da EDP disse à Lusa, que a empresa “não faz comentários sobre a venda dos ativos em curso”.
Comentários