Galp, BCP e papeleiras pressionam PSI 20, que acompanha Europa no vermelho

O PSI 20 é condicionado por treze empresas cotadas a negociar em terreno negativo, uma a negociar em alta e outras três sem variação.

O principal índice bolsista português (PSI 20) arrancou esta quinta-feira a perder 1,03%, para 4.371,20 pontos, em linha com as principais congéneres europeias.

Os investidores do Velho Continente continuam a mostrar-se receosos com o aumento dos casos de infeção do novo coronavírus, o que tem levado vários países a avançarem com novas medidas de restrições enquanto a vacina da Covid-19 não chega.

Na bolsa portuguesa, o PSI 20 é condicionado por treze empresas cotadas a negociar em terreno negativo, uma a negociar em alta e outras três sem variação.

O tombo da Galp, que cai 3,18%, para 8,70 euros, pressiona do índice bolsista. A empresa está em queda, numa altura em o Brent negoceia desliza 0,20%, para 44,30 dólares, e o WTI cede 0,50%, para 41,80 dólares.

As quebras do BCP (-2,73%) e das papeleiras Semapa (-2,47%), da Navigator (-1,84%) e da Altri (-0,94%) também pressionam o PSI 20. Destaque, ainda, para a NOS que desvaloriza mais de 1%.

Recomendadas

PremiumBanca dá pontapé de saída na ‘earnings season’

A última semana ficou marcada pelo início da época de divulgação de resultados nos EUA e na Europa, com a banca a dar o pontapé de saída.

PremiumBCE vigilante e pronto a recalibrar poder de fogo contra a crise

Banco Central Europeu não mexeu nos instrumentos de política monetária, mas salientou que as condições de financiamento favoráveis são a nova “bússola” para medidas futuras.

Wall Street fecha a semana mista movida por quedas nas tecnológicas e energia

O Nasdaq fugiu às perdas do Dow Jones e do S&P 500, este último arrastado para baixo pela má prestação do sector energético e o Dow caindo pelos fracos resultados das tecnológicas IBM e Intel.
Comentários