Galp produz mais 21% de petróleo no terceiro trimestre

Angola registou um aumento da produção de 72%. A venda de produtos refinados caiu 13%, impactada com a paragem para manutenção da refinaria de Sines.

A Galp fechou o terceiro trimestre com um crescimento de 21% na produção de petróleo para um total de 125 mil barris diários. A maioria desta produção (87%) corresponde a petróleo com o restante a corresponder a gás natural.

O Brasil foi o responsável pela maioria da produção da Galp (88%) com 111 mil barris produzidos, mais 17% face a período homólogo.

Já Angola é responsável pela restante produção (12%), registando um aumento de 72% face a período homólogo para 12,7 mil barris diários.

Em termos de matérias primas processadas, a Galp processou menos 26% de matérias no terceiro trimestre, devido a “operações de manutenção planeadas na refinaria de Sines, sobretudo focadas na unidade de destilação atmosférica, tendo sido também implementados projetos de eficiência energética em unidades chave desta refinaria no âmbito das iniciativas “+$1/boe”.

A empresa também destaca que em setembro “verificaram-se restrições operacionais que resultaram na menor utilização das unidades de conversão da refinaria de Sines”.

Como consequência, a venda de produtos refinados caiu 13%, com a venda a clientes diretos a descer 2%.

Já as vendas de gás natural/gás natural liquefeito recuaram 11%, enquanto as vendas a clientes diretos desceram 6%.

A divulgação de resultados do terceiro trimestre vai ter lugar no dia 22 de outubro antes da abertura da bolas de Lisboa.

Ler mais
Recomendadas

Governo assina protocolo com a Google para fomentar competências digitais e empreendedorismo

O memorando de entendimento desta parceria público-privada foi assinado esta terça-feira e engloba três âmbitos: desenvolvimento de competências digitais e empregabilidade; startups e Inteligência Artificial.

TAP vai receber 447 milhões do empréstimo estatal até ao final de 2020

Até ao momento, foram pagos 499 milhões de euros pelos cofres públicos à TAP e o restante valor dos empréstimo inicial de 946 milhões será pago até ao final deste ano.

Fiat Chrysler e PSA concluem administração da empresa que resultará da sua fusão

John Elkann será o presidente, Robert Peugeot o vice-presidente e Carlos Tavares o presidente executivo (CEO).
Comentários