Gaudêncio demite-se da liderança do PSD nos Açores e pede eleições internas antecipadas

Alexandre Gaudêncio demitiu-se do cargo de líder do PSD/Açores e vai pedir eleições internas diretas. Alvo de uma investigação da Judiciária, não diz se avança com uma recandidatura.

Crédito: Acácio Amaral
Alexandre Gaudêncio (ao centro)

O líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, demitiu-se esta terça-feira do cargo e vai pedir eleições internas diretas, não adiantando se se irá recandidatar ao cargo que assumiu há um ano.

Alexandre Gaudêncio anunciou esta terça-feira, em conferência de imprensa na sede do PSD/Açores, em Ponta Delgada, que se demite do cargo e que vai levar a Conselho Regional o pedido de antecipação de eleições internas da estrutura regional do partido.

O líder dos sociais-democratas açorianos adiantou ainda que “este não é o momento” para avançar se se recandidatará ao cargo.

Gaudêncio foi alvo de uma investigação da Polícia Judiciária por suspeita de violação de regras de contratação pública, de urbanismo e ordenamento do território na autarquia que dirige (Ribeira Grande).

O Conselho Regional, marcado para dia 26 de outubro, na ilha Terceira, será decisivo para perceber quem serão os possíveis candidatos ao cargo.

Recomendadas

OE2020: Governo só apresenta cenário macroeconómico mais tarde e no parlamento

O PEV afirmou que na reunião de hoje com o Governo “não houve negociações” sobre Orçamento, apenas a apresentação das prioridades deste partido, e o cenário macroeconómico será apresentado pelo executivo mais tarde no parlamento.

Exclusivo: Governo leva à concertação social proposta de 635 euros para salário mínimo em 2020

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, vai levar aos parceiros sociais esta quarta-feira, 13 de novembro, uma proposta de actualização em 35 euros do salário mínimo nacional (SMN) para 2020. Aumento do SMN não contará com acordo dos patrões e será fixado unilateralmente, passando para os 635 euros, após meta de 750 euros fixada para 2023.

Comissão quer que solução adotada para PAN seja válida para novos deputados únicos

A recomendação abre a porta a que os deputados únicos do Chega, Iniciativa Liberal e Livre possam fazer uma intervenção de um minuto e meio no debate quinzenal com o primeiro-ministro desta quarta-feira. Falta apenas a aprovação do presidente do Parlamento, Eduardo Ferro Rodrigues.
Comentários