PremiumGergely Karacsony. Afinal, Viktor Orbán não é invencível

Novo presidente da câmara de Budapeste venceu o candidato do partido do primeiro-ministro húngaro, fazendo renascer a esperança de que Orbán possa perder em 2022. Mas as motivações das inúmeras coligações que a política interna húngara vai gerando não são um bom indicador para o futuro. Karacsony foi eleito por uma surpreendente e muito colorida coligação de seis partidos em nada iguais.

A primeira fissura no extravagante e muito contestado edifício político de Viktor Orbán – primeiro-ministro húngaro há quase uma década e um dos expoentes da extrema-direita europeia – dá pelo nome de Gergely Karacsony e acaba, contra todas as expectativa de ser eleito presidente da câmara da capital. É a partir daí, de Budapeste – que a campanha de Karacsony transformou na Istambul da Hungria para revelar a recusa da cidade em manter-se debaixo do ‘jugo’ do partido que lidera o governo nacional – que os analistas consideram que o presidente do partido Diálogo para a Hungria pode iniciar uma espécie de conquista que culmine na assunção do cargo de primeiro-ministro.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumAjustes na legislação laboral para teletrabalho

A crise de saúde pública trouxe a necessidade de novas formas e organização de trabalho, em que a imposição do teletrabalho foi a mais notória.

PremiumStanley Ho: Magnata do jogo dava cartas em tudo aquilo em que se metia

Milionário que nasceu em Hong Kong e fez renascer Macau sabia tudo o que era preciso para fazer fortuna numa zona em constante mutação. Stanley Ho passou por todos os regimes, por todos os amigos e por todos os negócios sem encalhar em nenhum. Reformou-se em 2018, com 96 anos.

PremiumReeleição de Donald Trump começa a estar claramente posta em causa

À medida que novembro se aproxima, as expectativas de um segundo mandato do atual presidente esbarram na forma comoa Casa Branca lidou com a pandemia, mas sobretudo na incapacidade de relançar a economia no caminho do crescimento.
Comentários