Gestora do MARL reduziu dívida em 6,8 milhões

Empresa pública gestora dos mercados abastecedores registou lucros de 4,9 milhões de euros, mais 18% que no exercício precedente.

A SIMAB – Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores fechou o exercício de 2016 com uma redução da dívida financeira na casa dos 10%, de cerca de 67,4 milhões de euros para cerca de 60,6 milhões de euros, uma redução de cerca de 6,8 milhões de euros. De acordo com um documento interno do SIMAB, empresa que gere o MARL – Mercado Abastecedor da Região de Lisboa, a que o Jornal Económico teve acesso, em 2016, “o reforço de capacidade de autofinanciamento do grupo e a política criteriosa de investimentos permitiu uma redução da exposição à banca comercial em 2,2 milhões de euros”. E estes dois fatores “permitem enfrentar com maior confiança os desafios de desenvolvimento e crescimento para o futuro”, acrescenta o mesmo documento.

Além disso, a empresa pública liderada por Rui Paulo Figueiredo sublinha que “a capacidade de geração de cash flow, associada ao esforço de dotar o grupo com uma estrutura de capitais mais sólida permitiu uma redução do passivo bancário e o consequente reforço do peso relativos dos capitais próprios de 34%, em 2015, para 38% em 2016”.

Desta forma, com a redução da dívida ao longo do ano passado, assim como com a redução do custo médio da dívida, a SIMAB alcançou uma diminuição de 405 mil euros de encargos financeiros face a 2015, uma redução de 41%.
Por seu turno, quer a redução do endividamento, quer o aumento da rentabilidade operacional permitiram à SIMAB uma melhoria do rácio da dívida líquida sobre o EBITDA recorrente, passando de 6,6x em 2015, para 5,4x em 2016.

A rentabilidade dos capitais próprios da SIMAB no ano passado foi de 8,9% e o prazo médio de pagamentos baixou de 46 dias para 37 dias.

No passado, a SIMAB atingiu um resultado líquido de recorrente de cerca de 4,9 milhões de euros, o que traduziu uma melhoria de  753 mil euros, mais 18%, face ao exercício precedente. De acordo com os documentos a que o Jornal Económico teve acesso, este foi o melhor resultado consolidado de sempre do Grupo SIMAB”. Por seu turno, o EBITDA recorrente consolidado atingiu cerca de 11,2 milhões de euros, o que traduziu um crescimento de 9,2% em comparação com 2015.
O ano de 2016 na SIMAB ficou ainda marcado por um investimento de 548 mil euros, destacando-se o inicio da construção de um novo entreposto e a aposta na eficiência energética e hídrica.

Recomendadas

De Félix a Ferro. Em cinco meses, Bruno Lage ‘injetou’ 35 milhões de euros no plantel do SL Benfica

Chegou em janeiro com o SL Benfica em 4º lugar e a sete pontos do líder e campeão em título, FC Porto. Cinco meses depois, e com a conquista do 37º título, estes são os cinco jogadores que mais beneficiaram com a chegada de Bruno Lage.

Novo Minecraft Earth chega aos ‘smartphones’ e aposta na realidade aumentada

Com receitas que superam os mil milhões de euros, a Microsoft anunciou que vai lançar uma nova versão do popular jogo Minecraft mas desta vez com realidade aumentada.

José Maria Fonseca quer passar a exportar 80% da produção e faturar 30 milhões

A José Maria da Fonseca fechou o ano de 2018 em alta, com uma faturação de 23,7 milhões de euros e a trajetória prevista para os próximos anos continua a ser ascendente e assente nos mercados externos.
Comentários