Goldman lança fundo de ações de impacto ambiental global

O portfólio concentrar-se-á nas empresas que a equipe da sociedade gestora de ativos acredita que podem apoiar uma maior sustentabilidade ambiental e estão bem posicionadas para beneficiar da procura a longo prazo. Isto inclui empresas alinhadas e que seguem cinco temas ambientais principais: Energia limpa; eficiência de recursos; consumo e produção sustentáveis; economia circular e sustentabilidade da água.

A Goldman Sachs Asset Management (GSAM) anunciou hoje o lançamento do Global Environmental Impact Equity Portfolio, um fundo de Ações de Impacto Ambiental Global que procura gerar valorização do capital a longo prazo, fornecendo aos investidores exposição a empresas globais alinhadas com os principais princípios ambientais.

O portfólio concentrar-se-á nas empresas que a equipe da sociedade gestora de ativos acredita que podem apoiar uma maior sustentabilidade ambiental e estão bem posicionadas para beneficiar da procura a longo prazo. Isto inclui empresas alinhadas e que seguem cinco temas ambientais principais: Energia limpa; eficiência de recursos; consumo e produção sustentáveis; economia circular e sustentabilidade da água.

A carteira de ativos será gerida pela equipe da área de Global Equity da GSAM, liderada por Alexis Deladerrière, usando uma abordagem de investimento ascendente testada pelo tempo que integra os temas ESG (environmental, social, and governance) e fatores relacionados com o impacto no processo de tomada de decisão. A gestora irá alavancar a equipe de ações da GSAM, que são 80 pessoas e a equipe de investimento e estratégia da área ESG & Impact e que é de 40 pessoas.

Luke Barrs, Diretor da Gestão de Portfólio de Clientes da GSAM na EMEA, disse: “Cada um dos nossos cinco temas principais de impacto ambiental é sustentado por algumas das transições mais poderosas que estamos a assistir nas economias hoje – o aumento da energia alternativa, o crescimento de veículos elétricos e autónomos e a evolução das cidades inteligentes”.

A Carteira é um novo subfundo da Goldman Sachs Funds SICAV, domiciliada no Luxemburgo, qualificado para OICVM. O portfólio é oferecido a clientes institucionais e de retalho e está registado para venda em vários países europeus.

O Goldman Sachs Asset Management é o braço de gestão de ativos do The Goldman Sachs Group, Inc, que geria aproximadamente 1,9  triliões de dólares em ativos em dezembro de 2019. O Goldman Sachs Asset Management presta serviços de consultoria em investimentos desde 1988 e possui profissionais de investimento em todos os principais centros financeiros do mundo. A empresa oferece estratégias de investimento em uma ampla gama de classes de ativos para clientes institucionais e individuais a nível global.

Ler mais

Recomendadas

Chevron valoriza mais de 10% na Bolsa de Nova Iorque depois de ter suspendido produção de petróleo em Cabinda

A estratégia seguida pelo presidente e CEO da petrolífera Chevron, Michael Wirth, para enfrentar a crise gémea da Covid-19 e da guerra de cotações no petróleo vai além da suspensão da produção em blocos offshore, como aconteceu em Cabinda, Angola. Passa pela forte redução dos investimentos e pela venda de ativos, como é o caso das participações no Azerbaijão, que devem ser vendidas em abril.

Colapso da procura de petróleo equivale a um quinto do consumo global

A agência Bloomberg avança com um intervalo de valores que é credível para os traders do sector: o colapso da procura pode quantificar-se num quinto do consumo global, o que corresponde ao intervalo entre 10 e 20 milhões de barris por dia. Na crise petrolífera de 1980, a contração foi de 2,6 milhões de barris por dia.

Petróleo em mínimos de 18 anos leva o Kremlin a declarar que “está muito barato”

Com os futuros do Brent e do WTI a serem negociados, respectivamente, a 26,24 e 23,08 dólares por barril, a Rússia dá indicações – pela primeira vez na crise do Covid-19 – de que chegou ao limite da sua tolerância à descida dos preços do ouro negro.
Comentários